Prefeitos de Feira de Santana e Salvador podem conquistar mandatos até 2022

José Ronaldo e ACM Neto podem ser favorecidos com proposta de reforma política em tramitação no Congresso Nacional.

José Ronaldo e ACM Neto podem ser favorecidos com aprovação de proposta de reforma política em tramitação no Congresso Nacional.

A reforma política em discussão no Congresso Nacional deve positivar a eleição de 2016 com mandato de seis anos para prefeitos e vereadores. A proposta objetiva coincidir o calendário eleitoral das eleições municipais de 2016, com as eleições estaduais e nacionais de 2022. A partir de 2022 as eleições e os mandatos passam a durar cinco anos, com o fim da reeleição para candidatos a cargos eletivos do Poder Executivo.

Nesse contexto, dois prefeitos do Democratas podem conquistar mandatos até 2022, o prefeito de Feira de Santana, José Ronaldo de Carvalho; e o prefeito de Salvador, Antônio Carlos Magalhães Neto (ACM Neto). No caso de Ronaldo, ele pode se tornar o alcaide que comandou o município pelo mais longo tempo histórico, 18 anos. Com relação a Salvador, ACM Neto também pode se tornar um dos prefeitos que comandou o executivo municipal por longo tempo, atingindo 10 anos.

Observa-se que será necessário que ambos conquistem a reeleição em 2016, e terminem os mandatos. Observa-se, também, que no contexto atual, José Ronaldo e ACM Neto não enfrentam oposições com possibilidade de vitória. Os nomes que aparecem no cenário político como opositores não se consolidaram, e não aglutinam lideranças em torno de projetos alternativos de desenvolvimento municipal. Um cenário que pode mudar com a aproximação do processo eletivo de 2016.

Favorecidos

A proposta em tramitação no Congresso Nacional de ampliação do prazo de mandato, unificação do calendário eletivo, fim da reeleição, e limitação do mandato para cinco anos deve catalisar o apoio dos políticos que atualmente ocupam o poder. Não apenas os prefeitos de Feira de Santana e Salvador podem ser beneficiados com a mudança na legislação eleitoral, como, também, todos os que atualmente ocupam cargos eletivos.

Leia +

Plenário da Câmara Federal começa a analisar reforma política

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518), Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia (SINJORBA), Associação Brasileira de Imprensa (ABI Nacional, Matrícula nº E-002907) e Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia).