Experiências com GNV em viagem de carro da Bahia ao Chile têm resultados surpreendentes

A economia do combustível e o desempenho do veículo superaram as expectativas dos participantes do projeto.

A economia do combustível e o desempenho do veículo superaram as expectativas dos participantes do projeto.

A Travessia Bioceânica EGNV, iniciada no dia 20 de janeiro e finalizada em 11 de fevereiro, cumpriu com êxito a proposta de avaliar e divulgar o potencial do gás natural veicular (GNV). O projeto, realizado pelo Instituto Surear para Promoção da Integração Latino-Americana e patrocinado pela Bahiagás, pôs os pesquisadores Fabrizzio Cedraz e Lina Aras em uma viagem da Bahia ao Chile, a bordo do novo Ford Ka Hatch (com 3 cilindros), realizando uma série de experimentos com o combustível durante o trajeto. Após o término da expedição, os tripulantes da Travessia apresentaram resultados surpreendentes sobre o uso do GNV em condições adversas.

Entre as conclusões obtidas a partir das experiências realizadas na viagem, chama a atenção o fator econômico. Ele superou as expectativas. “O carro chegou a atingir medias superiores a 25 km com 1m³ de GNV. Ou seja, bem acima do esperado”, destaca o pesquisador e secretário executivo do Instituto Surear, Fabrizzio Cedraz. Geralmente, a depender do veículo, a média fica entre 12 km e 15 km por m³.

O desempenho do veículo com o GNV nos cerca de 10.700 km percorridos foi outro ponto positivo detectado durante a Travessia. O carro manteve todas as condições de dirigibilidade mesmo diante de vários desafios, como, por exemplo, a alternância de altitude com pico de 4.800 m em relação ao nível do mar e a variação de temperatura entre 3ºC e 40ºC. Ainda nestas condições, o motor conseguiu manter a potência.

Estes resultados foram apresentados no último dia 13 de março, na sede da Bahiagás, em Salvador (edifício Suarez), na reunião entre os representantes do Instituto Surear, o diretor-presidente da Bahiagás, Luiz Gavazza; o diretor administrativo e financeiro da Companhia, Raimundo Bastos; o coordenador regional da Agência Nacional do Petróleo (ANP/Nordeste), Ubirajara Souza; o superintendente de Energia e Comunicação da Secretaria de Infraestrutura do Estado da Bahia (Seinfra), Silvano Ragno; além de gerentes da Bahiagás.

Ubirajara Souza ressaltou a importância dos resultados. “Números excelentes foram obtidos, sendo, possivelmente, recordes de autonomia e de eficiência no consumo com o GNV. Isso mostra que o projeto cumpriu o objetivo com sucesso”, disse o coordenador da ANP.

Para o presidente da Bahiagás, Luiz Gavazza, “este projeto traz informações importantes para futuras inovações. Precisamos nos aprofundar ainda mais nas pesquisas, a partir dos resultados obtidos, para vermos a viabilidade prática de melhorias”.

O superintendente da Seinfra também ratificou a importância da Travessia Bioceânica EGNV. “A Bahiagás tem sido fundamental para a diversificação da matriz energética. Por isso é importante que ela continue incentivando projetos como este. E vamos levar estes resultados para o conhecimento do governo”, afirmou Silvano Ragno.

Oportunidades energéticas 

Durante a Travessia, a expedição fez uma parada estratégica em Brasília. Na capital nacional, os membros do Instituto Surear se reuniram no Ministério das Relações Exteriores para apresentarem os benefícios do gás natural como combustível e o potencial econômico. A ideia é que este seja um primeiro passo para um possível acordo de cooperação técnica entre Brasil e Bolívia a partir do gás natural.

No percurso ainda foram mapeados todos os pontos importantes que necessitam de oferta de GNV. A proposta é transformar este trajeto em um corredor alternativo de abastecimento na América do Sul, a exemplo do Corredor Azul, na Europa.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]