Feira de Santana: vereador Beldes Ramos critica duramente gestão de José Ronaldo e lembra incapacidade de produzir PDDU após uma década de poder

Beldes Ramos: cobrou da gestão de José Ronaldo a atualização do Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano (PDDU) e disse que os principais problemas da cidade é a saúde, educação e mobilidade urbana.

Beldes Ramos: cobrou da gestão de José Ronaldo a atualização do Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano (PDDU) e disse que os principais problemas da cidade é a saúde, educação e mobilidade urbana.

O vereador Beldes Ramos, em entrevista, cobrou atualização do Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano (PDDU) e disse que os principais problemas da cidade é a saúde, educação e mobilidade urbana. Beldes, que cumpre seu primeiro mandato como vereador pelo PT, formou-se no curso de Licenciatura de Letras Vernáculas. É professor concursado pelo estado da Bahia. Foi diretor da Diretoria Regional de Feira de Santana (Direc 02).

Em seu ponto de vista quais os grandes problemas do município, e de que forma é possível solucioná-los?

Beldes Ramos – Feira de Santana tem vários problemas e os que eu considero os mais graves dizem respeito, principalmente à saúde, educação e mobilidade urbana, os três gargalos hoje do município que precisam um olhar das autoridades e desta Casa legislativa, onde é necessário apresentar projetos e soluções para melhorar a qualidade de vida da população feirense. Temos uma educação que há vários investimentos do Governo Federal. O Governo Municipal também investe uma parte disso, constrói e reforma escolas, mas não há um avanço na qualidade de ensino. Com o IDEB cada vez mais baixo e descontentamento de professores com o seu trabalho em sala de aula fazem com que a educação decaía. Em relação à mobilidade urbana é necessário um maior investimento, não se admite uma cidade como a nossa ter transporte de baixa qualidade, ônibus sem manutenção, estradas esburacadas. Falta o Plano Diretor, a atualização do PDDU. É necessário pensar grande numa cidade grande. Com o planejamento a nossa cidade sai da zona do improviso e torna-se uma cidade organizada.

Nesses quase dois anos de mandato, há alguma decepção quanto ao processo legislativo atual?

Beldes Ramos – A minha maior decepção é que quando a gente pleiteia um mandato como vereador, com a intenção clara de exatamente contribuir com o desenvolvimento da cidade e a melhoria da qualidade de vida da população, achando que podemos fazer alguma coisa, ficamos muito engessados e amarrados pela legislatura e pela conjuntura política.

Ascom: Como vereador de oposição, quais as dificuldades que o senhor encontra em exercer sua função? Suas solicitações ao Governo Municipal têm sido atendidas?

Beldes Ramos – Eu vou me reportar a Casa Legislativa. Os requerimentos e projetos que apresentamos dependem da votação da maioria, e nós que somos oposição e minoria, que são apenas três vereadores, dificilmente nossos projetos são aprovados, até porque as matérias aprovadas atendem aos interesses do Executivo.

Como o senhor vê a relação entre o Governo Estadual e Governo Municipal?

Beldes Ramos – Em meu ponto de vista, existe uma relação muito democrática em todas as esferas. Democratizou muito, hoje não se vê siglas partidárias. O Governo do Estado tem investido pesado em Feira de Santana, principalmente na zona rural, com os projetos Água para Todos e Luz para Todos. Os municípios tem a responsabilidade de administrar esses programas. O Governo do Estado tem dado sua participação muito ativa, só acho que o prefeito, a gestão municipal deve buscar mais, para que a nossa cidade cresça cada vez mais.

O senhor que é professor e luta pela sua classe, o que acha que deve ser modificado em relação à educação no Município e no Estado?

Beldes Ramos – No Município temos várias situações, inclusive já fiz alguns pronunciamentos aqui na Casa falando sobre a estrutura física, a falta de merenda escolar e professores. Muitas escolas têm em seu quadro 90% de estagiários. Não é desconsiderando o trabalho, mas sabemos que o estagiário é aquele que acompanha o professor, não o que comanda sozinho uma turma de alunos. Com relação à questão pedagógica, é necessário um cuidado maior para que possamos ter avanços, dando condições aos professores, aumentando o interesse dos alunos, para que estes tenham vontade de frequentar as escolas. O foco tem que ser o âmbito pedagógico. No que tange ao Estado, acredito que houve um avanço, mesmo com a queda do IDEB; os investimentos foram aumentados e concretizados. Hoje há um núcleo na Direc que ouve diariamente os professores, apresentando soluções imediatas aos problemas apontados. E o Município poderia pegar esse exemplo para melhorar, principalmente na merenda, aumentando a autonomia de cada escola, onde cada unidade negocia a sua merenda.

Neste ano de 2014, quais os projetos de sua autoria que se destacaram no Legislativo feirense? E o senhor já dispõe de alguma proposição para apresentar no segundo semestre?

Beldes Ramos – Eu apresentei um projeto que institui que toda gestante no município tem direito ao conhecimento e vinculação à maternidade na qual será realizado seu parto, e em caso de intercorrências no pré-natal. A matéria já foi aprovada pela Casa. Para o segundo semestre será apresentado o projeto a lei que determina estabelecimentos comerciais a devolver de forma integral o troco ao consumidor. Tenho observado que os estabelecimentos comerciais de Feira de Santana não costumam dar o troco de centavos ao consumidor, aproximando valores sempre a favor do estabelecimento.

Publicidade

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]