Professores cobram da APLB explicações sobre recebimentos de jetons pagos a presidente da entidade

Carlos Gaban: “É incompatível o presidente do sindicato tão importante quanto a APLB receber jeton do governo, no mínimo é comprometedor.".

Carlos Gaban: “É incompatível o presidente do sindicato tão importante quanto a APLB receber jeton do governo, no mínimo é comprometedor.”.

Os professores da rede pública estadual cobram do sindicato que “representa” a categoria, APLB Sindical, presidida pelo professor Rui Oliveira, a assembleia para discutir as revindicações da classe e explicações sobre a aliança da diretoria sindical com o governo do estado. “As últimas notícias que circularam pela mídia confirmam a aliança da diretoria da APLB com o governo Wagner. Lamentavelmente tomamos conhecimento do pagamento de jetons ao coordenador geral da APLB, Rui Oliveira, candidato pelo PCdoB a deputado estadual. Rui Oliveira recebeu do Governo do Estado em 2013 à soma de R$ 24.747,00. O coordenador financeiro da APLB, Jorge Carneiro, também está envolvido. As condutas destes dirigentes expressam desvio de representatividade, daí pergunto novamente: a quem interessa a farsa do congresso e os ataques aos nossos direitos, num conluio com o governo Petista de Jaques Wagner”, diz a nota divulgada pelos docentes.

Os professores reclamam também do atraso da assembleia, onde o próprio Rui Oliveira garantiu que aconteceria logo após o término da greve da Polícia Militar, que acabou em abril. “A direção da APLB fechou um acordo verticalizado, cupulista e imoral com o governo, sem debater com a categoria. Acordo que prevê uma “promoção” de 14%, parcelado em três vezes (2014, 2015 e 2016). Uma pergunta simples! Quando será a assembleia?”, questiona.

A nota fala ainda sobre descumprimento das leis do governo do estado. “O governo do PT além de não respeitar a Lei do Piso Nacional, não cumpriu com a data base do servidor público estadual. Em 2013, assim como em 2014 tivermos um reajuste aquém da inflação, pois não existe correção, sem respeitar a data base e escalonada em duas vezes e sem ser retroativa”.

O deputado Carlos Gaban (DEM) opinou sobre o assunto durante entrevista concedida ao programa TV Servidor. “É incompatível o presidente do sindicato tão importante quanto a APLB receber jeton do governo, no mínimo é comprometedor. Porque que ele não cobra o URV do governo do estado que desde de 2007 vem empurrando esse problema com a barriga?.  Ai vem a dúvida, será que é porque ele recebe jeton do governo? Talvez!, crítica Gaban.

Para o parlamentar, há uma relação diferenciada do presidente sindical, Rui Oliveira, com as duas esferas governamentais.  “O comportamento que ele tem tido com a administração municipal é um, com a estadual é outro, totalmente diverso. Ele tem sido omisso com relação a defesa da categoria dos professores”, pontuou o deputado.

Publicidade

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]