Máfia do lixo: documento comprova envolvimento do secretário do meio ambiente da Bahia, Eugênio Spengler, com a empresa Sustentare, em Feira de Santana

Eugênio Spengler usa poder do Estado da Bahia, através de documento oficial, para tratar de interesse de empresa privada envolvida em crime ambiental.

Eugênio Spengler usa poder do Estado da Bahia, através de documento oficial, para tratar de interesse de empresa privada envolvida em crime ambiental.

Conteúdo do ofício nº 083/2012, oriundo do Governo do Estado da Bahia, SEMA, coloca relações do governo Jaques Wagner no campo do crime contra a administração pública e põe em cheque valores ético do governo.

Conteúdo do ofício nº 083/2012, oriundo do Governo do Estado da Bahia, SEMA, coloca relações do governo Jaques Wagner no campo do crime contra a administração pública e põe em cheque valores ético do governo.

Qualix/Sustentare contribui com grave passivo ambiental ao trazer para a paisagem urbana do município, uma ‘bela’ montanha de lixo, que rivaliza com as naturais colinas do entorno do município.

Qualix/Sustentare contribui com grave passivo ambiental ao trazer para a paisagem urbana do município, uma ‘bela’ montanha de lixo, que rivaliza com as naturais colinas do entorno do município.

O Jornal Grande Bahia revela com exclusividade, um documento oficial que aponta para o envolvimento de autoridade do governo Jaques Wagner, com o que foi classificado por Enio Noronha Raffin  como a ‘Máfia do Lixo de Feira de Santana’.

No ofício nº 083/2012, datado de 11 de abril de 2012, assinado pelo secretário Estadual do Meio Ambiente do Governo da Bahia, Eugênio Spengler, fica evidenciado o uso do poder do Estado da Bahia, para intermediação de interesses de empresa privada, em associação com o setor público. Neste caso específico, a Sustentare Serviços Ambientais S/A, empresa responsável pela operação do aterro em Feira de Santana.

No ofício, Spengler deixa claro que agia a pedido da empresa Sustentare, afirmando: “informamos a vossa Excelência que a empresa coloca-se à disposição para a retomada de todos os serviços de limpeza pública, estando aberta a nova negociação com esta prefeitura”.

O documento oficial leva o timbre do governo do estado, e põe em cheque os valores éticos e morais do governo Jaques Wagner. Ele foi endereçado ao então prefeito de Feira de Santana, Tarcízio Pimenta, que em função de um estudo científico elaborado pelo engenheiro Luiz Mário Queiroz Lima (nº 14201200000000559280, com título ‘PRAD – Plano de Recuperação de Área Degradada aplicado ao Aterro Municipal’) resolveu suspender o contrato com a Qualix/Sustentare. No estudo, foi identificado, dentre vários crimes ambientais, uma pluma de contaminação do tipo chorume, sedimentado no subsolo da região do Bairro Nova Esperança.

Spengler e o meio ambiente

O timbre do Governo da Bahia torna ainda mais preocupante a situação, por vir de um órgão público que, em tese, deveria defender os interesses da sociedade baiana. Observando apenas o fato do secretário Eugênio Spengler imiscuir nas relações entre a empresa Qualix/Sustentare e a prefeitura de Feira de Santana, é suficiente para levar o caso para a esfera federal do crime, uma vez que se trata da relação entre entes federativos distintos e empresa privada.

O caso torna-se ainda mais dramático quando Spengler fala em “negociação”, em uma clara referência ao dinheiro, oriundo do milionário contrato de limpeza pública da prefeitura de Feira de Santana.

Também é constrangedor quando Spengler escreve “a empresa coloca-se à disposição para a retomada de todos os serviços”. Afirmando na voz ativa como se fosse o próprio dono da empresa.

É interessante perceber, na prática, como o secretário age, porque a empresa Qualix/Sustentare, além de responder a processos judiciais por graves crimes ao meio ambiente de Feira de Santana. Também é responsável por trazer para a paisagem urbana do município, uma ‘bela’ montanha de lixo, que rivaliza com as naturais colinas do entorno do município.

Ministério Público e a fonte

O ofício nº 083/2012 consta em inquéritos do Ministério Público estadual de Feira de Santana, revelou uma fonte. Outra fonte, responsável pelo envio do documento, acrescentou que em anexo ao ofício foi uma planilha de preços com os valores que a empresa defendia como justo pelos serviços.

Confira a íntegra do ofício

Eugênio Spengler

O secretário Estadual do Meio Ambiente, Eugênio Spengler, é bacharel em Filosofia.

Governo do Estado da Bahia

Secretaria do Meio Ambiente

Gabinete do Prefeito

Salvador 11 de abril de 2012.

Ofício nº 083/2012 | GASEC

Prezado prefeito

Cumprimentando-o antecipadamente e, considerando o recebimento do ofício oriundo da empresa Sustentare Serviços Ambientais S/A, datado de 10/04/2012, concernente à suspensão da prestação de serviço referente à coleta e destinação dos resíduos do município de Feira de Santana, informamos a vossa Excelência que a empresa coloca-se à disposição para a retomada de todos os serviços de limpeza pública, estando aberta a nova negociação com esta prefeitura.

Assim, com o intuito de prestar mais clareza ao quanto acima relatado, encontra-se o supracitado ofício em anexo, para conhecimento e devidas providências.

Atenciosamente,

Eugênio Spengler

Secretário

(Dando como recebido oficialmente, um carimbo do então prefeito de Feira de Santana, Tarcízio Suzart Pimenta Junior)

*CF/1988 protege a fonte

O nosso jornal teve acesso às informações publicadas, valendo-se do direito constitucional do sigilo a fonte (CAPÍTULO I, Dos Direitos e Deveres Individuais e Coletivos, artigo XIV – é assegurado a todos o acesso à informação e resguardado o sigilo da fonte, quando necessário ao exercício profissional).

Baixe cópia do ofício

Governo do Estado da Bahia – SEMA – Ofício nº 083/2012.

Leia +

INEMA deverá apurar denúncia contra empresa Sustentare, afirma vereador feirense Marcos Lima

Prefeitura de Feira de Santana emite nota sobre suspensão da milionária licitação do serviço de limpeza pública

Máfia do lixo | Juiz determina suspensão de licitação milionária da prefeitura de Feira de Santana argumentando vícios e indícios de favorecimento

Secretaria Estadual do Meio Ambiente da Bahia emite nota sobre matéria do JGB em que aponta envolvimento de Eugênio Spengler com a Sustentare

Máfia do lixo | Lançado pela Prefeitura de Feira de Santana, edital de R$ 129 milhões possui vícios, indícios de favorecimento e traz prejuízos a trabalhadores

Máfia do lixo | Documento comprova envolvimento do secretário do meio ambiente da Bahia, Eugênio Spengler, com a empresa Sustentare, em Feira de Santana

Máfia do lixo | Parte da população feirense respira, nas noites e madrugadas, os fétidos odores do lixo que ela própria produz

Denúncia de crime ambiental envolve ‘máfia do lixo’ em Feira de Santana. Segundo fontes, organização atuou até mesmo dentro do MP

Vereador feirense Pablo Roberto critica licitação para coleta e tratamento de lixo

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto Oliveira da Silva (Carlos Augusto) é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF). Atua como jornalista e cientista social. Telefone: (75)98242-8000 | E-mail: [email protected]