Políticos prestam homenagem a Canô Velloso

Claudionor Teles Viana Velloso (Dona Canô) morre aos 105 anos.

Claudionor Teles Viana Velloso (Dona Canô) morre aos 105 anos.

Presidenta Dilma Rousseff lamenta morte de Dona Canô

A presidenta Dilma Rousseff divulgou nesta terça-feira (25/12/2012) nota de pesar pelo falecimento de Dona Canô.

Leia a íntegra da nota:

“Nota de pesar da presidenta Dilma Rousseff pelo falecimento de Dona Canô

Nosso Natal ficou mais triste, perdemos Dona Canô. Uma mulher rica de coragem, principalmente a coragem de ser feliz, como ela mesma gostava de dizer. Construiu uma família em torno do amor pela cultura, pela Bahia e pelo Brasil, expresso no talento de seus filhos, entre eles Caetano Veloso e Maria Bethânia. Sua alegria de viver e sua lucidez conquistaram o coração dos brasileiros. Transmito meu sentimento de pesar aos familiares de Dona Canô e aos filhos e filhas de Santo Amaro da Purificação, que hoje perderam sua maior divulgadora e fã. Dona Canô, mulher forte e sábia, nos deixa muita saudades.

Dilma Rousseff
Presidenta da República Federativa do Brasil”

No Facebook, Lula lamenta morte de Dona Canô

O ex-presidente Lula encontra dona Canô em Cachoeira, em 2006 (Foto: Ricardo Stuckert/PR)

Em texto publicado em sua página oficial no Facebook, o ex-presidente Lula lamentou a morte de Claudionor Viana Teles Velloso, a dona Canô. A mãe de Maria Bethânia e Caetano Veloso faleceu hoje, aos 105 anos, na manhã desta terça-feira (25), em sua casa, em Santo Amaro da Purificação (BA). A nota foi assinada por Lula e sua esposa, dona Marisa:

Dona Canô foi um exemplo de mulher, de mãe e uma referência de sabedoria e generosidade para sua família, para Santo Amaro da Purificação, para a Bahia e para o Brasil. Para nós foi também uma grande amiga, da qual sempre lembraremos com muito carinho. Nesse dia de Natal marcado pela tristeza de sua partida, estendemos nossa solidariedade a seus familiares e amigos.

Aleluia lamenta falecimento de Dona Canô 

“A Bahia perde aquela que soube como ninguém cultivar os valores da família, a celular mater da sociedade, sendo exemplo para todos nós. Dona Canô é uma referência baiana de solidariedade e simpatia, que ficará para sempre na memória dos baianos”, comentou o presidente estadual do Democratas, José Carlos Aleuia, ao saber do falecimento da matriarca do clã dos Velosos, nesta terça-feira (25). “Santo Amaro, a Bahia e o Brasil lamentam a perda de Dona Canô, um ser muito especial”.

Nota do prefeito eleito ACM Neto sobre a morte de dona Canô 

“A Bahia e Santo Amaro perderam hoje um dos seus maiores ícones. Quis o destino que dona Canô nos deixasse neste 25 de dezembro, data maior da confraternização entre os cristãos. Lamento muito a sua morte e lembro que, durante mais de meio século, dona Canô e meu avô, o senador Antonio Carlos Magalhães, foram grandes amigos. Neste momento de tristeza, quero me solidarizar com a família Velloso, que muito contribuiu para o desenvolvimento de Santo Amaro e para a projeção da Bahia no Brasil e no mundo”.

ACM Neto, deputado federal e prefeito eleito de Salvador

Nota de pesar por Dona Canô 

Em nome de Feira de Santana, queremos nos solidarizar com pesar com a família Velloso pelo falecimento de Dona Canô, uma das figuras mais representativas do Estado, juntando-nos ao sentimento comum de Santo Amaro e da Bahia.

José Ronaldo de Carvalho, prefeito eleito de Feira de Santana

O exemplo de Dona Canô

O senador Walter Pinheiro (PT-BA), prestou uma homenagem a Dona Canô, que faleceu nesta terça-feira (25), aos 105 anos, em Santo Amaro da Purificação.

Pinheiro utilizou a rede social Twitter para homenagear o exemplo de vida da mãe de Caetano e Maria Bethania, sempre dedicada à família e a causas sociais: “Dona Canô, uma história e exemplo de vida”, destacou Pinheiro.

Walter Pinheiro, Senador da República (PT-BA)

Leia +

Aos 105 anos, morre em Santo Amaro a matriarca dos Velloso, Dona Canô

Publicidade

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518), Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia (SINJORBA), Associação Brasileira de Imprensa (ABI Nacional, Matrícula nº E-002907) e Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).