Santo Estêvão: Prefeito Rogério Costa diz que objetiva a implantação do SAMU e declara que importantes obras serão entregues em 2012

Rogério Costa: estamos implantando o Núcleo da Universidade Aberta do Brasil, com investimentos da ordem de R$ 6 milhões.

Rogério Costa: estamos implantando o Núcleo da Universidade Aberta do Brasil, com investimentos da ordem de R$ 6 milhões.

Rogério Costa, prefeito de Santo Estêvão, faz um balanço de sua gestão, diz que a administração foi marcada pelo diálogo e revela o desejo de implantar o SAMU (Serviço Médico de Urgência) no município. Ele avalia o papel do Chefe da Casa Civil da Bahia, Rui Costa, também fala sobre investimentos em saúde e educação. Rogério finaliza a entrevista exclusiva concedida a Carlos Augusto, diretor do Jornal Grande Bahia, afirmando que sua administração buscou solidificar um projeto de sociedade calcado no progresso educacional e social do povo de Santo Estevão.

Jornal Grande Bahia – Recentemente o seu principal apoio político, o deputado federal Rui Costa, deixou o Congresso Nacional e ingressou no governo Wagner na condição de chefe de gabinete. O que muda? E de que forma o senhor avalia essa mudança?

Rogério Costa – Essa mudança é positiva, porque a força política que representa o Rui, ele vem para servir a Bahia e consequentemente deve beneficiar Santo Estevão. Na esfera federal, é claro que ele era um deputado muito atuante e a gente está conversando quem ficará no encargo para canalizar as emendas e os recursos para Santo Estevão, apesar de em 2011, Rui Costa ter trabalhado muito por Santo Estevão, isso é importante que seja dito. Ele vem para Casa Civil, como é um amigo, uma pessoa querida de muitos e com certeza pela relação próxima que temos, contribuirá para o progresso de Santo Estevão.

JGB – Esse é um ano mais curto, é um ano eleitoral. O que a sua administração planeja realizar nas próximas semanas?

Rogério Costa – Apesar de ser um ano eleitoral, um ano curto, mas são obras que são do povo e elas vão continuar em mandatos seguintes. Porque a gente tem que estar preocupado não só com o mandato, não só com a reeleição. Nós temos que estar preocupado e focado em um projeto que garanta desenvolvimento, sustentabilidade de crescimento para Santo Estevão. Que, hoje, se encontra na microrregião de Feira de Santana.

Nós estamos concretizando o esgotamento sanitário via FUNASA do PAC 2, na ordem de quase R$ 17 milhões. Vai dotar Santo Estevão de quase 100% de esgotamento sanitário. É uma obra muito importante para a cidade e que não se concretizará nesse período. Vamos contratar até o final de fevereiro conforme a determinação da presidente Dilma Rousseff.

Temos calçamento, que vem também do Ministério das Cidades, com financiamento da Caixa, na ordem de quase R$ 3 milhões, já está aberta a licitação, devemos começar agora no mês de março e outras obras são pertinentes do Governo do Estado. Nós temos obras importantes sendo construídas em Santo Estevão, que devem estar sendo entregues em breve. A exemplo da reforma e ampliação do Hospital Municipal.

Finalizamos a construção de uma creche, e outras sendo aprovadas para ter o seu início, Temos uma escola infantil, enfim, temos obras importantes que garantirão o crescimento de Santo Estevão durante esse ano e para os anos vindouros que é o mais importante.

E mesmo agora com essa criação, essa possibilidade do Aeroporto de Feira de Santana, como Santo Estevão está dentro dessa microrregião com certeza será beneficiada. Porque quando o desenvolvimento chega a um ponto, como Feira, consequentemente vai irradiar em toda região.

E ainda tem outra situação positiva para Santo Estevão que é essa duplicação da BR 116 Sul que vai passar pelo nosso município. Enfim, eu acho que a região como um todo vive um momento muito positivo e Santo Estevão tem feito um grande diferencial. Temos a conclusão de mais um PSF, construção de outros PSFs, estamos lutando para a implantação do SAMU em Santo Estevão que é de uma importância muito grande e especial para as pessoas que utilizam o trânsito.

Enfim, estamos trabalhando para ver a cidade crescer cada vez mais. Sabendo da exiguidade do tempo, mais estamos fazendo esforços para que as coisas se realizem no menor tempo possível.

JGB – Com relação à educação, claro que o ano letivo se inicia agora em fevereiro, o que a sua administração preparou para este que é o último ano desta sua administração?

Rogério Costa – Nós temos na parte da rede física, trabalhado muito, reformando, entregando algumas escolas de qualidade, temos capacitado muitos professores, temos tido um diálogo muito forte. Vamos implantar a Escola Digital, com internet banda larga em todas as escolas, até porque todos os nossos professores possuem uma ferramenta importante que é o netbook.

O transporte escolar que atende perfeitamente e uma rede bastante capacitada, qualificada, sempre com o propósito de buscar o seu crescimento e esse aperfeiçoamento decorre a cada dia no momento que a gente consegue atrair para Santo Estevão dois cursos do Instituto Federal, estamos com dois cursos técnicos agora pelo SEBRAE para capacitar os nossos jovens, enfim, estamos implantando o Núcleo da Universidade Aberta do Brasil, com investimentos da ordem de R$ 6 milhões. Dentro da política do governo federal, Santo Estevão, em 2015, possa ter aproximadamente 1.200 alunos estudantes no nível universitário. Dando oportunizando uma qualificação para a nossa juventude.

JGB – O senhor já se declarou candidato à reeleição. Que marcas o senhor acredita que o leitor pode identificar na sua administração que o difere de todas as outras?

Rogério Costa – A primeira coisa é buscar o governo participativo, onde construímos um PPA com audiências públicas, ouvindo muito a sociedade, trabalhando muito o social. Onde as pessoas em vulnerabilidade social são contempladas com programas e reinseridas no contexto produtivo da cidade.

Para dar maior força ao Bolsa Família Federal, criamos uma, estabelecemos uma relação muito forte com o Bolsa Família Municipal. Estruturamos políticas de habitação rural com a construção de casas. Estabelecemos uma relação muito forte com o sindicato dos trabalhadores rurais e também com o Governo do Estado na questão do Seguro Safra, além de  levarmos água a quase todas as comunidades rurais.

Agora nós temos um pleito que foi deferido, que foi parte da luta, mas que é o Governo do Estado, o Ministério das Cidades e a EMBASA, que é a ampliação de todo o sistema integrado de abastecimento de água de Santo Estevão, que atenderá não só a nossa cidade, além de mais quatro outros municípios que estão inseridos nesse projeto.

Acredito que o nosso governo foi do diálogo, da proximidade com o povo, do resgate das festas, da cultura. A exemplo da terceira Lavagem da Prosperidade. A questão da baiana, da cultura afrodescendente, demos esta valorizada. Também apoiamos e realizamos O Dia da Bíblia e a Micareta. Buscamos colocar o governo em um cenário de muito envolvimento com a comunidade. Além do trabalho, da questão do lazer, e acima de tudo do diálogo, que foi uma coisa muito forte do nosso governo.

JGB – O Jornal Grande Bahia lhe agradece pela entrevista.

Rogério Costa – Eu é que agradeço a oportunidade de ser entrevistado por um jornal de grande repercussão, que tem credibilidade, e que com certeza, vai contribuir muito para o fortalecimento da democracia. Algo que precisamos nesse Brasil, consolidar um projeto democrático, onde a liberdade possa ser cada vez mais cultuada. Precisamos viver plenamente a questão de ser cidadão e contribuir para o desenvolvimento da nossa nação.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518), Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia (SINJORBA), Associação Brasileira de Imprensa (ABI Nacional, Matrícula nº E-002907) e Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia).