Secretário de turismo, Cláudio Tinoco, responde as críticas feitas pelo CBTUR

O Conselho Baiano de Turismo (CBTUR), criticou a administração municipal, através de carta aberta ao prefeito de Salvador, João Henrique. Na carta os empresários do turismo dizem-se decepcionados com o tratamento dado ao turismo na Bahia.

Trecho da carta, “Senhor Prefeito, um apenas superficial exame na situação da capital baiana facilmente exibe uma condição de deterioração dos seus principais atrativos, absolutamente distante de iniciativas reais que lhe possam indicar caminho para solução.”

Em reposta às críticas do Conselho Baiano de Turismo à administração municipal, o presidente da SALTUR, Cláudio Tinoco, afirma que a Prefeitura, através de diversos órgãos públicos, vem executando a Operação verão, com a limpeza das praia e ordenamento dos ambulantes, dentre outras ações.

Com relação às barracas de praia, Tinoco recorda que “ainda em 2007 ocorreu a primeira tentativa por parte da administração municipal em implantar um novo padrão para as barracas de praia, projeto este que foi abortado pela ação da Justiça, cuja ação persiste até hoje. A administração municipal através da SUCOM, foi informada pela Justiça sobre a decisão da derrubada das barracas de praia sem a devida aprovação de projeto definitivo. Naquele momento, muitos do turismo aprovaram a ação pelo reconhecido estado de favelização que a Orla se encontrava. É notório o esforço da Fundação Mário Leal Ferreira para concluir o projeto que atenda aos interesses da cidade e às exigências da Justiça. Reafirmo que também a administração quer uma solução definitiva para a Orla”, frisa Tinoco.

Já com relação às críticas ao estado de conservação dos Sete Pontos Mágicos, a SALTUR realizou um diagnóstico da situação de cada local e apresentou o estudo aos órgãos públicos. Pelo menos quatro Pontos Mágicos, de acordo com Tinoco, têm participação na gestão de outros entes públicos, como, por exemplo, o Parque do Abaeté, em Itapuã, que sempre foi mantido por órgãos estaduais. No Dique do Tororó existe uma gestão compartilhada com a CONDER. A Baía de Todos os Santos, de acordo com Tinoco, é um território regional, que abrange dezoito municípios e possui equipamentos sob a responsabilidade de órgãos federais, como o Forte São Marcelo, que encontra-se fechado depois da última revitalização que foi promovida pela Prefeitura. E o Centro Histórico, que tem o Pelourinho como o principal atrativo da cidade, depende da atuação de todos os níveis de governo, com ênfase do MinC/IPHAN e do Estado”, aponta Tinoco.

O presidente da SALTUR conclui afirmando que “por esses aspectos, como fizemos na última reunião, reitero o convite ao CBTUR para persistir no apontamento das legítimas demandas do setor, aceitando também compartilhar com o município de Salvador da responsabilidade de desenvolver a atividade do turismo na nossa capital, por exemplo discutindo sobre a implantação de um fundo municipal de turismo, com parcela da movimentação econômica gerada pelo setor, compondo o conselho municipal de turismo e ampliando a pauta de demandas, por exemplo com aspectos da conscientização da população, da segurança pública e combate à pobreza, que não foram abordados na carta”.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Publicidade

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]