Ministro Edison Lobão admite criar cargo na Petrobras para abrigar José Eduardo Dutra, que já presidiu a estatal

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, admitiu ontem (27/01/2012) a possibilidade de criação de mais uma diretoria na Petrobras, para atender a interesses corporativos da estatal. “Não há decisão tomada ainda, mas é muito provável. A criação de uma diretoria corporativa é importante”. Indagado sobre uma possível indicação do ex-presidente da estatal José Eduardo Dutra, que tem sido citada pela imprensa, Lobão disse que ele é “um excelente nome” para o cargo. “Já foi presidente da empresa, tem qualificação plena para exercer qualquer função na Petrobras, já foi mais que aquilo que está sendo cogitado”.

Por outro lado, o ministro minimizou o impacto das mudanças na direção de Petrobras, com a substituição do presidente José Sergio Gabrielli por Maria das Graças Foster. “A rigor, não muda nada na Petrobras, só a presidência. Os jornais têm dito que haverá mudanças, mas estou dizendo que não haverá mudanças, exceto se algum diretor manifestar o desejo de sair agora”, disse aos jornalistas.

Lobão convocou a imprensa para negar algumas informações que surgiram nos últimos, como as demissões do diretor de Exploração e Produção da estatal, Guilherme Estrella e do presidente da Transpetro, braço logístico da Petrobras, o ex-senador Sérgio Machado. “Não há nenhuma mudança prevista, não haverá saída do Sérgio Machado”, assegurou.

Sobre o substituto de Maria das Graças Foster na diretoria de Gás e Energia, Lobão disse que ainda não há nenhum nome definido. “Ela própria [Foster] vai sugerir nomes à Presidência da República”. O nome deve ser anunciado na próxima reunião do Conselho de Administração da Petrobras, marcada para 9 de fevereiro.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518), Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia (SINJORBA), Associação Brasileira de Imprensa (ABI Nacional, Matrícula nº E-002907) e Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia).