José Carlos Aleluia cobra conclusão da passarela de Pituaçu, em Salvador

jose-carlos-aleluia-cobra-conclusao-da-passarela-de-pituacu-em-salvador“Enquanto o governador Jaques Wagner passeia pelos ares de helicóptero, o Campeonato Baiano começou e a torcida do Bahia voltou a se expor ao perigo de atravessar a Avenida Paralela para ver o seu time jogar no Estádio de Pituaçu, porque a passarela continua inacabada”, reclama o presidente estadual do Democratas, José Carlos Aleluia.

Segundo Aleluia, com a cabeça nas nuvens, em seu helicóptero, Wagner só pensa em projetos faraônicos como a Ponte Salvador/Itaparica. “Por que ele iria se preocupar com uma passarela para oferecer segurança às pessoas e atenuar o congestionamento de carros na Avenida Paralela? Não é a realidade dele”.

O líder oposicionista lamenta que, nem a morte do torcedor Anderson dos Santos, atropelado ao tentar atravessar a Avenida Paralela para ver o Bahia, no final do ano passado, foi capaz de sensibilizar o governo petista a concluir as obras da passarela.

“No final do ano passado, logo depois do infortúnio do torcedor tricolor, nós acionamos o Ministério Público, que até agora não se manifestou sobre o problema. Se ficarmos a esperar a conclusão da passarela na velocidade em que trabalha o nosso governador voador, novas vítimas fatais surgirão”, alerta Aleluia.

Na representação feita pelo Democratas ao Ministério Público Estadual, é denunciada a má-execução e não conclusão das obras do entorno do estádio de Pituaçu, referentes à construção da passarela “Esquadrão de Aço”, a duplicação da Avenida Pinto de Aguiar e a Vila Olímpica.

De acordo com Aleluia, os gastos do governo foram bem maiores do que o previsto inicialmente para a reforma do estádio e não foram realizadas as obras essenciais à segurança e à comodidade do torcedor. “Sem falar que, com a demolição da Vila Olímpica da Fonte Nova, Salvador continua sem piscinas olímpicas para preparação de atletas e disputa de competições”, observa o líder oposicionista.

Aleluia não entende a justificativa apresentada pela Conder, principalmente, para a não conclusão da passarela de Pituaçu. “É subestimar muito a inteligência das pessoas, dizer que o atraso da passarela é conseqüência da complexidade da obra. O Palácio Thomé de Souza, sede da prefeitura de Salvador, também em estrutura metálica, foi montado em sete dias. O Ministério Público precisa investigar essa história mal contada”.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Publicidade

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto Oliveira da Silva (Carlos Augusto) é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF). Atua como jornalista e cientista social. Telefone: (75)98242-8000 | E-mail: [email protected]