José Carlos Aleluia alerta Jaques Wagner para extermínio de jovens baianos

“O governador Jaques Wagner poderia aproveitar a presença da presidente Dilma Roussef, em Salvador, no Dia Internacional em Memória às Vítimas do Holocausto, para pedi-lhe apoio no combate ao extermínio de jovens em nosso estado, um problema que precisa ser enfrentado urgentemente”, sugere o presidente estadual do Democratas, José Carlos Aleluia.

Com base no Mapa da Violência 2012, do Instituto Sangari, Aleluia denuncia que a taxa de homicídios entre jovens de 15 e 24 anos, dobrou de 2006 para 2010. “Em 2006, era de 41 homicídios por 100 mil habitantes. Passou a 84,2 assassinatos por 100 mil habitantes em 2010”.

O líder oposicionista assinala ainda o impressionante dado referente ao total das causas de mortes dos jovens, entre 15 e 24 anos, em 2010. “De um total de 4.445 mortes de diversas causas em 2010, 2.215 foram causadas por assassinatos. Isso revela a ocorrência de um verdadeiro extermínio da nossa juventude”, alerta.

Aleluia informa que a Bancada de Oposição na Assembleia Legislativa vai apresentar um projeto para a criação do Dia Estadual de Combate aos Crimes de Extermínio. “A proposta é que seja no dia 4 de março. Foi nesta data que ocorreu a ‘Chacina do Pero Vaz’, quando sete jovens foram assassinados nesse bairro popular de Salvador”.

Para o presidente democrata, o governador Jaques Wagner precisa se esforçar mais para que a marca da violência de seu governo não comprometa o futuro da Bahia. “É preciso investir em educação. Trazer o jovem para a escola. Não deixá-lo uma presa fácil ao tráfico de drogas”.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518), Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia (SINJORBA), Associação Brasileira de Imprensa (ABI Nacional, Matrícula nº E-002907) e Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia).