Itamaraty confirma brasileiros a bordo de cruzeiro que naufragou na Itália

O Ministério das Relações Exteriores confirmou que havia brasileiros a bordo do navio de cruzeiro que naufragou ontem (13/01/2014) na costa da Itália. Segundo o Itamaraty, os consulados brasileiros em Milão e em Roma foram contactados por brasileiros que relataram que viajavam na embarcação.

O navio Costa Concordia levava mais de 4 mil pessoas quando bateu em um banco de areia próximo à ilha de Giglio. Inicialmente, as autoridades locais divulgaram que pelo menos seis pessoas haviam morrido, mas, até a manhã de hoje (14), somente três corpos haviam sido resgatados.

Ainda de acordo com o ministério, não há informações sobre o número de brasileiros que estavam no navio, já que a empresa não divulgou dados oficiais sobre os passageiros a bordo. O assunto está sendo acompanhado pelo consulado brasileiro em Roma. 

Cruzeiro com mais de 4 mil a bordo naufraga na Itália

Um navio de cruzeiro que levava mais de 4 mil pessoas naufragou na noite de ontem (13) na costa da Itália. Inicialmente, as autoridades locais divulgaram que pelo menos seis pessoas haviam morrido, mas, até a manhã de hoje (14), somente três corpos haviam sido resgatados.

O navio Costa Concordia bateu num banco de areia próximo à ilha de Giglio e já havia inclinado cerca de 20 graus quando as pessoas começaram a deixar a embarcação em botes salva-vidas ou nadando.

Equipes de resgate estão fazendo buscas de cabine em cabine na tentativa de encontrar possíveis sobreviventes. O navio levava cerca de 3.200 passageiros, principalmente, italianos, alemães, franceses e britânicos, além de cerca de mil funcionários.

Helicópteros foram usados para retirar pelo menos 50 pessoas que se refugiaram no deck do navio e se encontravam em situação delicada.

O Costa Concordia havia deixado o porto de Civitavecchia, perto de Roma, ontem para um cruzeiro pelo Mediterrâneo, que deveria terminar em Marselha, na França, após passar por portos da Sicília, da Sardenha e da Espanha.

Um comissário do navio, Deodato Ordona, disse que, após o acidente, os passageiros receberam a ordem de deixar a embarcação. Segundo ele, houve dificuldades para lançar os botes salva-vidas ao mar e muitos passageiros pularam e nadaram os cerca de 400 metros de distância até a terra firme.

Os passageiros resgatados estão sendo acomodados em hotéis, escolas e em uma igreja em Giglio, que fica a 25 quilômetros da costa italiana.

A Costa Crocera, empresa proprietária do navio, informou que ainda é cedo para dizer o que causou o acidente. “A inclinação gradual do navio tornou a retirada dos passageiros extremamente difícil”, disse um comunicado divulgado pela companhia. “A posição do navio, que está piorando, tornou mais difícil a última parte da retirada.”

*Com informações: Agência Brasil

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Publicidade

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]