Gilberto Carvalho confirma que Dilma avaliou desocupação do Pinheirinho como barbárie

O ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, confirmou ontem (27/01/2012) que a presidenta Dilma Rousseff avaliou como barbárie a operação militar de desocupação do Pinheirinho, em São José dos Campos (SP).

“Sim, é verdade. É uma questão de método que se utiliza quando há um problema. Ou você parte para o método democrático de ouvir e resolver no diálogo ou vai para o enfrentamento armado sem levar em conta a necessidade de respeitar a dignidade daquelas pessoas”, disse, ao participar do Fórum Social Temático (FST) 2012.

Carvalho disse que o Ministério das Cidades, há anos, vem propondo ao governo de São José dos Campos uma alternativa para a situação mas que, “infelizmente”, o diálogo não foi levado até o final e a operação militar “deu no que deu”.

 “Aquelas famílias são famílias pobres, carentes e precisam ser tratadas com a mesma dignidade com que eu trato aqueles que ocupam terras do Estado sem terem sido removidos”, ressaltou.

Sobre a acusação feita pelo PSDB de que o assunto foi transformado em questão eleitoral, o ministro disse lamentar que o partido esteja tentando alterar o que aconteceu. “Não há politização ou questão eleitoral no caso. O que há é a necessidade da denúncia de um método que é equivocado”, disse.

“O governo federal, ao contrário do que se diz, procurou fugir de qualquer característica de disputa eleitoral. Temos um respeito pelo governo do estado de São Paulo, uma boa relação. O governo federal pontuou a diferença de método e se ofereceu para ajudar na solução do problema. Agora, mais do que nunca, o que importa é a resolução do problema daquelas famílias”, concluiu.

O Governo de São Paulo respondeu, em nota, que “é inadmissível o oportunismo político e o desapreço do ministro Gilberto Carvalho pelo regime democrático. Antes de fazer ataques covardes a São Paulo, o ministro deveria explicar por que, desde o início da ocupação, em 2004, o governo federal não ofereceu uma única solução concreta para o drama das famílias em Pinheirinho. O ministro Gilberto Carvalho desperdiça horas de seu tempo de trabalho para fazer proselitismo às custas da verdade. Defende abertamente o desrespeito a ordens judiciais e ataca de forma sórdida um ente da federação. Demonstra, com isso, que não está à altura do cargo que ocupa. Se terrorismo houve, foi na irresponsabilidade verbal do ministro. O Governo de São Paulo tem compromisso com a democracia e a Justiça social. Sob esses princípios, irá solucionar definitivamente o problema de moradia dessas famílias”.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Publicidade

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto Oliveira da Silva (Carlos Augusto) é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF). Atua como jornalista e cientista social. Telefone: (75)98242-8000 | E-mail: [email protected]