Diversidade cultural marca 404 anos de homenagens ao padroeiro de Lauro de Freitas

diversidade-cultural-marca-404-anos-de-homenagens-ao-padroeiro-de-lauro-de-freitas Foto:João Raimundo

diversidade-cultural-marca-404-anos-de-homenagens-ao-padroeiro-de-lauro-de-freitas Foto:João Raimundo

A diversidade cultural baiana foi traduzida no cortejo que reuniu 22 grupos pelas ruas do Centro de Lauro de Freitas, neste sábado (14/01/2012). Baianas, capoeiristas, fanfarras, samba de roda, bandas de sopro e percussão alegraram e espalharam cores em homenagem ao padroeiro da cidade, Santo Amaro de Ipitanga. “É uma riqueza sem igual. Que o nosso padroeiro, que deu origem há quatro séculos a nossa cidade, continue inspirando manifestações desta grandeza” – afirmou a prefeita Moema Gramacho. O secretário municipal de Cultura, Antônio Lírio, destacou que o cortejo é especial este ano porque “abre o ano de comemorações do cinquentenário de emancipação da cidade”.

Os grupos saíram do Final de Linha arrastando uma multidão em clima de carnaval até a Igreja Matriz. Conforme a tradição, o patrimônio arquitetônico mais importante do município, construído no século XVII, teve as escadarias lavadas pelas águas de cheiro das baianas. O carro-pipa, estacionado em frente ao templo, também refrescava a multidão. “Este ano as baianas estão muito mais bonitas, mais arrumadas. A secretaria de Cultura nos ajudou com os vestidos” – destacou a baiana Carla Oliveira Santos, de Itinga. Com 33 anos de idade, ele disse que sai desde quando tinha a idade da sua filha de oito anos.

Milhares de pessoas foram às ruas para acompanhar o desfile. Quem preferiu apenas assistir ao cortejo, aplaudia das janelas e portas das casas e dos comércios cada grupo que passava. Os mais animados, como a prefeita, percorreram todo o trajeto ao ritmo do samba de roda, do afoxé e das marchas. Na escadaria da igreja, em um dos momentos mais emocionantes da festa, o Hino a Santo Amaro de Ipitanga foi entoado pela multidão.

De acordo com o presidente do Conselho de Cultura de Lauro de Freitas e secretário de Governo, Ápio Vinagre, este foi o primeiro cortejo financiado pelo Fundo Municipal de Cultura, instituído pelo Conselho em 2010. Com este apoio, a tendência, ainda segundo Vinagre, é que “a tradição melhore a cada ano”. Acompanhando a prefeita em todo o trajeto, o vice-prefeito João Oliveira se disse feliz em ver a perpetuação da tradição secular. “Esta homenagem ao nosso padroeiro Santo Amaro de Ipitanga é um momento marcante para a religiosidade e tradição do município. Como não poderia deixar de ser, temos esta parte da festa que é a expressão de alegria legítima do nosso povo”.

A tradição remonta ao surgimento da Freguesia de Santo Amaro de Ipitanga, fundada pelos Jesuítas em 1578 e que deu origem à atual cidade de Lauro de Freitas. As comemorações seguem neste domingo com missa solene às 8h30, na Igreja Matriz.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518), Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia (SINJORBA), Associação Brasileira de Imprensa (ABI Nacional, Matrícula nº E-002907) e Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia).