Deputado federal ACM Neto provoca: incompetência motiva queda de Gabrielli

O líder do Democratas na Câmara Federal, deputado ACM Neto, disse hoje (24/01/2012) que o presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, será demitido pela presidente Dilma Rousseff “por incompetência”. Ele lamentou que o governador Jaques Wagner (PT) tenha decidido dar como “prêmio de consolação” a Gabrielli uma secretaria de estado. “O que não serve para a presidente Dilma Rousseff serve para o governador Jaques Wagner. Isso é lastimável”, disse ACM Neto.

Neto lembrou que, apesar de ainda não ter sido oficializada, a notícia da demissão de Gabrielli já gerou frutos positivos para a estatal, com o aumento das ações da Petrobras. “O mercado já comemora a demissão de um cidadão que só usou a Petrobras para fazer política rasteira, para distribuir patrocínios a prefeitos do PT e partidos aliados no interior da Bahia e em outros estados do país, sem a adoção de critérios técnicos. Por isso, os acionistas da Petrobras estão soltando foguetes”, afirmou.

O deputado disse que Gabrielli trabalhou no comando da empresa para beneficiar apenas os aliados, sobretudo na Bahia, já que planeja ser candidato a governador em 2014. “O que a Bahia ganhou nesse período em que o senhor Sérgio Gabrielli presidiu a Petrobras? Nada. Os maiores investimentos da empresa estão indo para outros estados, a exemplo de Pernambuco”.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518), Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia (SINJORBA), Associação Brasileira de Imprensa (ABI Nacional, Matrícula nº E-002907) e Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia).