Deputado critica volume de homicídios, classificando de final de semana sangrento com 38 assassinatos entre a RMS e RMFS

Os dados da violência na Bahia são assustadores. Neste final de semana, Salvador e região metropolitana registraram 28 mortes e 16 tentativas de homicídios – o final de semana mais violento do ano -, de acordo com dados da Secretaria de Segurança Pública (SSP). A segunda maior cidade do estado, Feira de Santana, também estampou as páginas policiais. Foram 10 homicídios e 1 suicídio.

Na última quinta, 26, o secretário de Segurança Pública, Maurício Barbosa, divulgou dados mostrando que o número de homicídios na capital baiana diminuiu 6,8% em relação a 2010. “Infelizmente, esses números não podem ser comemorados. Pois, o que vemos na realidade é a insegurança instalada na capital, na região metropolitana, em Feira de Santana e no interior da Bahia como um todo. O governo precisa acordar, e tomar medidas efetivas urgentes. Os baianos estão saturados de tanta violência, precisamos reagir. E isso, só pode ser feito com políticas públicas de segurança e de educação”, afirmou o deputado estadual Carlos Geilson (PTN).

Ainda de acordo com a SSP, o número de estupros no estado subiu de 442 para 534 em Salvador e o número de utilização de explosivos contra instituições financeiras saltou de 8 para 41, o que representa um aumento de 413% em apenas um ano.

No final de 2011, a ONG mexicana Conselho Cidadão para a Segurança Pública e Justiça Penal deu a Salvador o título da 22ª cidade mais violenta do mundo. Já Simões Filho, ficou conhecida como a cidade mais violenta do Brasil, de acordo com o Mapa da Violência 2012.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518), Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia (SINJORBA), Associação Brasileira de Imprensa (ABI Nacional, Matrícula nº E-002907) e Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia).