Denílson Santiago, diretor da SMT de Feira, promete implantação de vagas para idosos, deficientes e motos, além de campanhas educacionais

Denílson Santiago – O grande número de infrações de trânsito no município é por velocidade, a segunda por invasão de semáforo e a terceira por estacionamento irregular. - Foto: Carlos Augusto | Guto Jads | Jornal Grande Bahia. Com. Br

Denílson Santiago – O grande número de infrações de trânsito no município é por velocidade, a segunda por invasão de semáforo e a terceira por estacionamento irregular. – Foto: Carlos Augusto | Guto Jads | Jornal Grande Bahia. Com. Br

O diretor da SMT (Superintendência Municipal de Trânsito) de Feira de Santana, Denílson Santiago Santos, 39 anos, bacharelando em direito, trabalhou na gestão pública, fez cursos na UNEB e especializou-se na área de trânsito. Antes de assumir a SMT, Denílson foi Superintendente de Trânsito do município, oportunidade em que deu início ao mapeamento por GPS (Sistema de Posicionamento Global via Satélite) das rotas de transporte público. Ele afirma que em breve as pessoas poderão saber em quantos minutos o transporte chega a determinado ponto.

Com experiência no Detran Estadual, Denílson falou com exclusividade ao Jornal Grande Bahia sobre os investimentos que devem ocorrer em 2012. Ele promete um efetivo maior, investimento em tecnologia, alerta a sociedade para os efeitos nocivos de dirigir sob efeito do álcool e drogas ilícitas. Confira a entrevista.

JGB – O que o levou a aceitar o cargo de superintendente em uma área que é extremamente complexa?

Denílson Santiago – Fui convocado pelo prefeito Tarcízio Pimenta há dois anos para a missão de diretor de transportes, abracei o convite, vesti a camisa do município, avançamos no transporte e um ano depois surgiu alguns convites dele para que eu viesse assumir a superintendência municipal de trânsito.

2011 foi um ano de levantamento de informações, de estatísticas, para que subsidiasse as nossas decisões no ano de 2012, já que o trânsito é vivo e intenso a nós temos que estar acompanhando e tendo informações precisas para que não se tome decisões que venham a causar transtornos à comunidade.

Um exemplo disso é a implantação das vagas para o idoso, para o portador de necessidades especiais e as vagas de moto. É notório que a nossa área comercial tem um grande número de motos e existem motociclistas insistindo em estacionar em vagas não permitidas. A cidade cresce e o número de motos também. Estamos iniciando na Avenida Senhor dos Passos um estudos entre as lojas, farmácias e clínicas para que possamos colocar as vagas. A previsão legal do código de trânsito é que 5% das vagas sejam destinadas para o idoso e portadores de necessidades especiais, estamos colocando isso em prática, conforme orientação do prefeito Tarcízio Pimenta e do secretário Flailton Frankles. Hoje você observa na Avenida Getúlio Vargas, na Rua JJ Seabra, enfim, no quadrilátero da área comercial, a sinalização horizontal, e dentro em breve faremos a sinalização vertical.

JGB – Essa reorganização do espaço público para estacionamento de veículos automotores, motos e carros, vem acompanhada também de um problema o próprio ente público dispõe de vários prédios como o CEAF que não possuí vagas para visitantes. Não só na área municipal isso ocorre, vamos citar a área estadual, o prédio da Receita Estadual em Feira de Santana não tem vagas para visitantes. Vamos citar a área Federal, o mesmo ocorre. Você acredita que isso é correto? Não é hora de mudar essa mentalidade? Como o senhor analisa essa questão?

Denílson Santiago – A previsão para vaga de visitante não há. Nós temos uma previsão legal para o veículo oficial, aquele que tem uma atividade fim no determinado órgão. O que nós temos a previsão é para o idoso e para o portador de necessidades especiais, nas farmácias, clínicas e hospitais, é isso que nós estamos regulamentando. Mas a previsão para o visitante aquele que tem interesses a tratar em um determinado órgão público, seja ele em qualquer instância, Municipal, Estadual ou Federal, ele tem sim que procurar um local seguro, local mais próximo, mas não parar em fila dupla ou satisfazer a sua necessidade em detrimento a comunidade. Tem que procurar os locais mais próximos que não traga transtorno a comunidade.

JGB – Não seria um equívoco projetar prédios para atender a população que não comtemple pelo menos um número razoável de vagas para estacionamento?

Denílson Santiago – Nós estamos tratando ainda de um plano diretor urbano, que está sendo posto em prática aos poucos, negociado, tratado para que não traga tanto impacto. Como você pode observar aqui na mesa nós temos um Plano Diretor de Trânsito, dele eu tenho que seguir o máximo possível, já que a cidade é dinâmica.

Então nós estamos usando o Plano Diretor de Trânsito com uma realidade para projetar a cidade para o futuro. Quando você observa um porto de carga e descarga em determinadas ruas, com certeza essa via vai precisar dessa vaga. Enfim, tudo que nós estamos criando, tratando hoje no trânsito é com objetivo de projetar a cidade para o futuro.

O prefeito Tarcízio Pimenta tem feito gestão na abertura de algumas vias, colocação de semáforos. Nós estamos projetando hoje as faixas elevadas. Pode até não está tão perceptível essa necessidade, mas, se nós pensarmos a cidade futuramente, nós teremos de cortar vias, reservar vagas, para que a comunidade que hoje adentra a área comercial tenha um espaço mais seguro, com menos engarrafamento, com um trânsito fluindo.

JGB – Com relação à velocidade de trafegabilidade dentro do anel de contorno e fora do anel de contorno. Eu tive a oportunidade de dirigir veículos na Europa, na América do Norte e normalmente as cidades estabelecem uma velocidade média, por quase todo o seu percurso, variando apenas 10 km, isso eu vi em Genebra, em Zurique, em Munique, em Paris. Aqui em Feira de Santana existe uma deficiência aparente na questão da velocidade em que os condutores devem conduzir os seus respectivos veículos, poucas placas sinalizando a velocidade média, pontos de parada. Vocês colocam as placas e elas são destruídas ou simplesmente não fizeram esse tipo de trabalho?

Denílson Santiago – Eu fico feliz do amigo trazer informações dos países da Europa, onde vias em autopistas. Nós não estamos tratando aqui de autopistas.

JGB – Não eu estou citando dentro do perímetro urbano. Todos os perímetros urbanos tem velocidade média pré-estabelecida. Tem uma placa dizendo X km/h.

Denílson Santiago – Hoje a gente pode observar na cidade de Feira de Santana alguns controladores de velocidade em novos pontos e outros sendo mantidos. O que está acontecendo? Nós temos hoje a Avenida Getúlio Vargas que foi palco de atropelamento com vítima fatal, temos a Avenida Fraga Maia onde uma advogada também teve a vida ceifada por atropelamento. Enfim, nós deslocamos alguns fotos sensores para as vias onde no ano de 2011 teve um número crescente de acidentes com vítima fatal ou atropelo com vítimas com escoriações.

Esse ano de 2012 nós já iniciamos baseado em todo o estudo de 2011 o deslocamento de sensores onde já não havia mais necessidade, um exemplo disso é a entrada da cidade de Feira de Santana, a onde o condutor que vem de uma rodovia federal com uma velocidade tal, ele quer entrar na área urbana com a mesma velocidade, onde nós temos escolas, teatros, temos área comercial e ele insiste em manter não basta ser colocado tão somente quebra molas, mas precisamos colocar o controlador de velocidade, onde entrando na cidade de Feira de Santana pelo Portal do Sertão temos lá regulamentando a velocidade e esperamos que ele mantenha essa velocidade regulamentada.

Havia uma reclamação na cidade que na mesma via tínhamos placas regulamentando duas velocidades, isso nós já verificamos, a empresa já foi notificada para tomar as providências para que a avenida fique com uma única velocidade e tomamos por base a menor, porque o que está sendo avaliada é a capacidade de frenagem do veículo no tocante a um pedestre atravessando a avenida e ele ser possível frear a tempo ou se ele tiver com a velocidade compatível conseguir frear seu veículo.

No prolongamento da Getúlio Vargas próximo ao Terminal Central de Ônibus houve várias vítimas fatais no ano de 2011, próximo à área do Centro de Abastecimento, seja por conta da invasão do semáforo pela velocidade desenvolvida por conta de declive, nós colocamos um controlador de velocidade ali. Se isso ao longo de 2012 vier a reduzir, não mais se faz necessário à permanência do controlador.

Nós não estamos aumentando controladores e sim regulamentado as vias dando velocidade e acompanhando até como forma de estatística que a nossa ideia não é só notificar, mudar o que o senso comum pensa disso, mas sim resguardar vida que é o bem maior que está previsto no código de trânsito e isso que nós temos a obrigação de trazer a segurança a todos que estão transitando na cidade.

JGB – O senhor demonstrou ser uma pessoa adepta do uso da tecnologia na gestão pública, existe algum estudo em curso para que se aperfeiçoe a ação dos profissionais ligados a essa superintendência?

Denílson Santiago – Sim. Fizemos um convênio, um contrato com uma empresa, demos um curso aos agentes de trânsito na Escola Pública de Trânsito na EPTRAN, estamos com mais uma ferramenta que o Palmtop, onde o agente de trânsito pode enviar e receber mensagens. Com isto esperamos aumentar a velocidade do atendimento às ocorrências.

Nós estamos em processo de implantação da digitalização das ocorrências. O condutor de veículo que por ventura venha se envolver em acidentes terá sua ocorrência feita digitalmente, em tempo recorde. Nós vamos entregar a ele a ocorrência bem mais rápido. Então aquele que necessita da ocorrência, seja para acionar o seguro ou outra finalidade, ele vai conseguir isso muito mais rápido.

JGB – Quantos profissionais, e gentes de trânsito, a superintendência hoje conta, existe previsão de aumento de efetivo?

Denílson Santiago – O prefeito Tarcízio Pimenta publicou o edital do concurso. O município está atento à deficiência, há um grande número de veículos sendo emplacados na cidade. A característica de a nossa cidade ser um entreposto comercial, e de termos um público flutuante que em determinados dias da semana vem a cidade, seja para compra de material, seja para o Centro de Abastecimento que tem a quarta e as sextas-feiras um público de caminhões que vem abastecer a cidade. O prefeito está realizando concurso para aumentar o efetivo.

JGB – Qual o número atual e pretende ampliar para quantos agentes inicialmente?

Denílson Santiago – Hoje nós estamos com 60 agentes e a previsão do concurso é para 15 vagas. Mas tem um fato, os nossos agentes estão estudando, crescendo na vida e estão passando em outros concursos Federais, Estaduais e ele faz a opção do que melhor lhe interessa e assim nós perdemos alguns agentes.

JGB – Com relação às pessoas que dirigem sobre o efeito do álcool. Existe algum projeto no sentido de coibir essa ação?

Denílson Santiago – Recentemente estivemos em Salvador reunidos com superintendência da polícia Rodoviária Federal, onde estamos participando de comandos educativos, na quinta, sexta e sábado no Anel de Contorno. Seja ela na competência da Polícia Rodoviária na parte das rodovias, nós damos o apoio nas transversais onde corta a cidade, pela Presidente Dutra, Avenida Maria Quitéria, João Durval, isso próximo aos locais de eventos e incidência de bares, a Polícia Rodoviária Federal nos provocou, nós abraçamos a situação, então estamos dando apoio a eles nas rodovias federais.

Quando se fala em bafômetro nós estamos tratando de competências, mas no que se diz salvar vidas não há competências a responsabilidade é de todos, já que a competência formal é do estado, mas em salvar vidas é de todos, nós estamos com uma operação contínua no modelo da Policia Rodoviária Federal para área urbana de Feira de Santana. Nós já estamos adquirindo os etilômetros, vamos iniciar a operação da Lei Seca durante todo o ano de 2012. Não adianta uma operação que se limite ao período do verão, precisa ser continua.

JGB – Quais as principais infrações de trânsito e que mensagem, que conselho o senhor daria para os condutores de veículos?

Denílson Santiago – O grande número de infrações de trânsito no município é por velocidade, a segunda por invasão de semáforo e a terceira por estacionamento irregular. Eu faço um apelo para que o condutor que esteja no centro comercial da cidade, que procure estacionar em um local seguro, que não venha causar transtorno, para que não cause problemas a terceiros. Peço que ele tenha consciência, e busque parar nas vias transversais.

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto Oliveira da Silva (Carlos Augusto) é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF). Atua como jornalista e cientista social. Telefone: (75)98242-8000 | E-mail: [email protected]