Cantora Margareth Menezes fala sobre a campanha de combate as drogas, apresentação em teatros e participação na Micareta de Feira 2012

Margareth Menezes é entrevistada por Carlos Augusto. Eu acho que a gente precisa aproximar mais povo brasileiro das suas reais possibilidades, comenta Margareth. - Foto: Carlos Augusto | Guto Jads | Jornal Grande Bahia. Com. Br

Margareth Menezes é entrevistada por Carlos Augusto. Eu acho que a gente precisa aproximar mais povo brasileiro das suas reais possibilidades, comenta Margareth. – Foto: Carlos Augusto | Guto Jads | Jornal Grande Bahia. Com. Br

“Eu acho que a gente precisa aproximar mais povo brasileiro das suas reais possibilidades.”, Margareth Menezes

Margareth Menezes é entrevistada por Carlos Augusto. Eu acho que a gente precisa aproximar mais povo brasileiro das suas reais possibilidades, comenta Margareth.

Umas das mais belas vozes do Brasil, a cantora Margareth Menezes foi entrevistada por Carlos Augusto, diretor do Jornal Grande Bahia, oportunidade em que falou sobre a participação musical ao lado da OSBA e de Wagner Tiso no Teatro Castro Alves, sobre a Micareta 2012 de Feira de Santana e a participação na Campanha Pacto Pela Vida, lançada pelo Governo da Bahia, que objetiva combater o uso de drogas, em especial o Crack.

Jornal Grande Bahia – Tive a oportunidade de assistir de uma apresentação sua no Teatro Castro Alves (TCA) em Salvador com OSBA e Wagner Tiso. Você poderia nos falar um pouco dessa sua participação? Vão existir novas edições? Você está pensando em desenvolver um trabalho também para apresentações em teatros do porte do TCA?

Margareth Menezes – Eu sempre fiz isso. Eu venho do teatro, comecei fazendo teatro e dentro do meu trabalho eu sempre tive uma performance muito ampla, então o teatro faz parte do meu trabalho.

Eu tenho um trabalho voz, violão e percussão, o violonista era o Saul Barbosa, que faleceu ano passado. Mas é uma coisa que eu preservo desde os tempos que eu comecei a cantar nos bares, ter esse trabalho acústico.

Eu lancei um projeto ano passado Margareth Menezes Acústico, fizemos alguns teatros. Estou participando também do projeto, Elas cantam Chico, eu, Daniela Mercury, Paula Lima, Elba Ramalho e Roberta Sá, onde nós já percorremos alguns teatros do Brasil, paramos agora para o Carnaval, mas vamos continuar.

Aquele evento com a orquestra não foi também a primeira vez, já participei de vários eventos com orquestra, cantei no Pelourinho com a Orquestra de Mulheres de São Paulo, já cantei em São Paulo duas vezes com a Orquestra de Campinas, eu acho que faz bem quando a gente consegue exercitar todos os campos que envolvem a música, até opera eu já cantei. Pelo menos no meu caso, eu só posso agradecer a Deus essa possibilidade de poder realizar estes tipos de trabalhos.

Aquele show em especial com a OSBA e com o Wagner Tiso pra mim, foi um evento que me marcou, porque cantar ‘O bêbado e o Equilibrista’, acompanhado por Wagner Tiso e a orquestra, uma música que é de Elis Regina, que me influenciou muito na minha formação como cantora, então foi um momento ímpar para mim, ter tido aquela possibilidade, cantar uma música de Dorival Caymmi, realmente para mim é um diferencial no trabalho.

JGB – Em 2012 a senhora estará de novo na Micareta de Feira de Santana. Pode nos falar um pouco de sua relação com o público de Feira de Santana. Como está enxergando a Micareta desse ano?

Margareth Menezes – Com certeza o povo daqui de Feira é um povo que tem muito carinho por mim, há muitos anos. Então me apresentar aqui na Micareta, os outros momentos que eu venho a Feira, toda região aqui vizinha, eu acho muito bonito isso que o prefeito está fazendo mostrando com antecedência as atrações que ele está buscando trazer para apresentar para o povo. Eu acho que também é importante cuidar para dar ao povão participações de qualidade, coisas que o povo gosta, artistas que o povo gosta, é importante isso.

JGB – Você também está emprestando seu charme, a sua elegância para uma bela Campanha de combate as drogas, principalmente ao crack. Você poderia nos falar um pouco dessa Campanha, desse seu engajamento social?

Margareth Menezes – Essa Campanha é muito séria porque é uma Campanha que é muito necessária hoje no Brasil, podemos dizer que estamos passando por uma epidemia, principalmente os jovens, estamos perdendo muitos jovens para as drogas. Eu acho que isso é um sinal muito grande da necessidade de promover no Brasil um investimento mais forte na educação de qualidade, que dê formação, que traga possibilidade de outras escolhas para esses jovens.

Hoje a gente vê o Brasil, como 6ª economia do mundo, mas, no entanto a realidade do povo é bem diferente. Eu acho que a gente precisa aproximar mais povo brasileiro das suas reais possibilidades. Graças a Deus com o governo Lula já melhorou, mas, o percentual que melhorou é muito pouco em relação do que é necessário fazer. A gente precisa fazer isso pra prevenir esse tipo de coisa, porque a educação ajuda, a educação combate a violência, o consumo de drogas, porque as pessoas já tem outra expectativa de vida.

Porque esse grande número de pessoas se envolvendo com violência, com assalto, quem é que está assaltando? É o próprio povo, então a gente precisa ter uma visão de mais progresso para o povo. Eu acho que é bom a festa, mas é bom também a gente colocar a educação de qualidade, para que as pessoas possam aproveitar agora esse grande boom pelo qual o Brasil vem passando e a gente vê a falta de mão de obra de qualidade, porque não foi feito um investimento real nessa questão.

O povo brasileiro merece a festa, mas merece também a educação, a não violência, o acesso à saúde de qualidade. E a gente está realmente ter uma ação mais forte, eu acho que a presidenta Dilma Rousseff tem essa intenção. Mas não pode ser uma coisa tímida não, tem que fazer um projeto, isso a gente reverte com 10 ou 5 anos, e começa a ter uma resposta real.

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto Oliveira da Silva (Carlos Augusto) é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF). Atua como jornalista e cientista social. Telefone: (75)98242-8000 | E-mail: [email protected]