Bahia terá cinco novos sistemas de condomínios sustentáveis de pesca

O programa Pescando Renda vai implantar cinco novos sistemas de condomínios sustentáveis para criação de peixes em tanque-rede no estado. Eles serão instalados nos municípios de Governador Mangabeira, Conceição da Feira, Boa Vista do Tupim, Itaetê e Antônio Gonçalves. Através da Secretaria de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza (Sedes), o projeto terá investimento de mais de R$ 2,8 milhões, com parceria entre o governo baiano e o Ministério da Pesca e Aquicultura.

A implantação dos condomínios visa ao desenvolvimento sustentável da piscicultura, proporcionando inclusão socioprodutiva, geração de renda e segurança alimentar das famílias envolvidas.

O secretário Carlos Brasileiro afirmou que o projeto tem como objetivo a promoção do aproveitamento racional dos recursos hídricos existentes nas localidades para produção de pescado, via sistema associativista. “Trata-se de um modelo de empreendimento solidário, que permite a inclusão de novos beneficiários, tornando a associação autossustentável”.

A sustentabilidade do sistema de condomínio do Pescando Renda está assegurada a partir da criação, por meio da Sedes, do Fundo de Inclusão Social do Condomínio (FIS), o que faz com que cada beneficiário contribua com uma percentagem da sua produção, proporcionando autonomia econômica da entidade representativa dos beneficiários do condomínio.

Com isso, outras famílias podem entrar no sistema produtivo. Cada beneficiário contribui com uma taxa de 10% da produção de cada ciclo produtivo, para que o condomínio adquira novos kits do Pescando Renda e inclua mais beneficiários, ou mesmo adquira outros equipamentos necessários à cadeia produtiva.

Em cada condomínio implantado, os integrantes serão capacitados e contarão com assistência técnica nos projetos. Serão fornecidos tanques-rede, barcos com motor, canoas de fibra, balsas, 936 mil alevinos, berçários, boias, entre outros equipamentos e insumos.

Modelo

No município de Araci, no norte da Bahia, o projeto implantado e desenvolvido pela Associação de Pescadores de Poço Grande é considerado modelo e beneficia dezenas de famílias. Segundo o coordenador do Pescando Renda, Geraldo Aquino, com a implantação do projeto em Araci, houve repercussões econômicas positivas, abrindo mais uma opção produtiva para as comunidades, refletindo na geração de empregos, aumento de renda, maximização dos recursos naturais, uma maior oferta de pescado, além de atrair outros investimentos comerciais inerentes à cadeia produtiva do pescado.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Publicidade

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto Oliveira da Silva (Carlos Augusto) é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF). Atua como jornalista e cientista social. Telefone: (75)98242-8000 | E-mail: [email protected]