Agência da ONU quer investigação em acidente com cruzeiro na Itália

Secretário-geral da Organização Marítima Internacional, OMI, afirmou que não se deve especular ou pré-julgar; e observou que no ano do centenário do naufrágio do Titanic, os riscos da navegação ainda são lembrados

A Organização Marítima Internacional, OMI, pediu uma investigação completa sobre o naufrágio do cruzeiro Costa Concordia, na Toscana, na Itália, na sexta-feira.

Segundo agências de notícias, pelo menos seis pessoas morreram e dezenas estão desaparecidas. O cruzeiro virou na ilha de Giglio, na hora do jantar, e segundo testemunhas, começou a afundar rapidamente.

A embarcação levava mais de 4 mil pessoas incluindo passageiros e tripulação. De acordo com o Itamaraty, havia 53 brasileiros no cruzeiro e todos passam bem.

Em nota, o secretário-geral da OMI, Koji Sekimizu, disse que não é hora de “especulação e pré-julgamento”. Ele deu pêsames às famílias das vitimas. E afirmou que no centenário do naufrágio do Titanic, o mundo ainda é lembrado dos riscos envolvidos com a navegação.

O chefe da agência da ONU elogiou a Guarda Costeira da Itália pelas operações de resgate, a mobilização rápida de barcos e salva-vidas, assim como o envio de uma equipe de mergulhadores para socorrer as vítimas. Sekimizu disse que a ação resultou no resgate com o maior número de pessoas da história da Guarda.

A OMI está esperando o resultado da investigação do acidente. E disse que a agência não irá encarar o naufrágio de forma natural. Segundo Sekimizu, é preciso aprender as lições, e se necessário, reexaminar o regulamento de segurança dos passageiros.

*Com informações: Rádio ONU

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Publicidade

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]