Caso Subaé Brasil: JGB publica quatro vídeos exclusivos, com os principais trechos das denuncias apresentadas pelos vereadores de Feira de Santana

Vereador Roberto Tourinho apresenta denúncia.

Vereador Roberto Tourinho apresenta denúncia.

Um dos maiores escândalos financeiros do Brasil foi protagonizado em Feira de Santana, o caso Subaé Brasil. Cujo rombo financeiro é da ordem de R$ 20 bilhões e deixou milhares de pequenos correntistas, que também eram cotistas da cooperativa, sem recursos financeiros. Estima-se que a média de depósito era de apenas R$ 3 mil, sendo formada por pequenos agricultores e comerciantes.

A cooperativa funcionava através dos pequenos poupadores-cooperados. Sabe-se que grandes empresários usaram o Subaé Brasil para operações financeiras irregulares. Estes empresários foram guiados pela própria usura, ganância. Todos os indícios levam a conclusão de que foram vítimas do famoso Golpe da Pirâmide Financeira, ou seja, uma vez que o Subaé Brasil, em função das operações irregulares autorizadas pelo presidente, Lourival Nunes Araújo, entrou em processo de falência. Ele atraiu grandes empresários para o esquema com promessas de lucro fácil. O Subaé Brasil embora falido, ou seja, sem equilíbrio financeiro, passou a ser alimentado através de novos investidores. Mas, uma hora a pirâmide foi derrubada e como diz o adágio popular: a casa caiu e o golpe foi descoberto.

Tarcízio aparece como um dos grandes investidores

As denuncias apresentadas no dia 4 de abril de 2011, pelos vereadores: Roberto Tourinho (PSB), Frei Cal (PMDB), Ângelo Almeida e Marialvo Barreto (PT), atingem diretamente o prefeito de Feira de Santana, o médico Tarcízio Suzart Pimenta Junior. Cópias de cheques, movimentações de títulos de capitalização não contabilizados, utilização de terceiros (conhecidos como laranjas) para movimentar valores financeiros e a compra de um terreno, efetuada pela prefeitura de Feira de Santana, através da empresa MSA Incorporadora de Imóveis e imobiliárias, que tem como sócia Mirela Silva Araújo, filha do ex-presidente do Subaé Brasil, Lourival Nunes Araújo. Envolvem o médico Tarcízio Pimenta no escândalo financeiro.

Estes fatos apontam para a participação do cidadão Tarcízio Pimenta como investidor do Subaé Brasil, ou seja, vítima e algoz da situação. Uma vez que este tipo de entidade não pode ter discrepâncias substancias de depósito entre os correntistas. As denuncias apontam também para a participação do prefeito, através da compra de terreno na mão de suposto laranja e da utilização de um funcionário da prefeitura no esquema financeiro.

Cabe ao prefeito e ao cidadão Tarcízio Pimenta, explicar as denuncias que apontam em sua direção. Por enquanto prevalece a versão dos vereadores. Uma vez que o prefeito, não prestou as devidas explicações. Ele encontra-se nos Estados Unidos e deve retornar à prefeitura na segunda-feira (11/04/2011).

Confira os vídeos




Publicidade

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518), Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia (SINJORBA), Associação Brasileira de Imprensa (ABI Nacional, Matrícula nº E-002907) e Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).