Dilma Rousseff visita oitava maravilha do mundo e elogia capacidade do povo chinês

A presidenta Dilma Rousseff encerrou hoje (16/04/2011) visita de seis dias à China com um passeio pelo parque dos Guerreiros de Terracota na cidade de Xian, na parte central do país. O conjunto foi construído no século 3, durante a dinastia do primeiro imperador chinês, Qin Shi Huang. No livro de visitas do local, a “oitava maravilha do mundo”, nas palavras da presidenta, Dilma Rousseff escreveu que o exército de terracota demonstra a imensa capacidade do povo chinês ao longo dos séculos.

Na visita, que por cerca de uma hora fechou o parque para o público, Dilma Rousseff viu de perto o local descoberto em 1974 por moradores que cavavam um poço de água. A presidenta ficou impressionada com o complexo mecanismo de um eixo usado em carruagens da época.

“Maravilha, perfeito”, disse Dilma. “E funciona?”, perguntou, ao que a guia respondeu que sim. A presidenta fazia perguntas constantemente e queria entender, em detalhes, como tudo funcionava. “Não é à toa que eles são tão bons em novos materiais e nanotecnologia “, afirmou, por sua vez, o ministro da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante.

Em Xian, no dia anterior, a presidente visitou a ZTE, uma empresa que fabrica equipamentos de telecomunicações e que vai investir US$ 200 milhões na construção de uma fábrica em Hortolândia, São Paulo. A agenda prevê que Dilma Rousseff retorne ao Brasil amanhã (17).

A visita terminou com um saldo de investimentos concretos, promessas de diversificação comercial, acordo para permanência da fábrica da Embraer na China, encomenda de novos aviões, a abertura parcial do mercado chinês para importação de carne suína e uma série de acordos de cooperação em diversas áreas, entre elas ciência e tecnologia.

Outra conquista anunciada pelo governo, porém recebida com muito ceticismo no Brasil, foi uma promessa de investimento da Foxconn no Brasil de US$ 12 bilhões. A empresa construiria uma cidade do futuro em local ainda a ser divulgado e instalaria ali uma fábrica para a construção de telas de cristal líquido usadas na produção de iPads e celulares de terceira geração.

O governo comemorou a promessa, resultado de uma negociação de três meses com a empresa sediada em Taiwan. O entendimento foi apontado como avanço na tentativa de atrair para o Brasil investimentos chineses em setores de alta tecnologia, que agreguem valor à cadeia produtiva.

Cerca de 85% dos investimentos chineses no Brasil são em setores como o petróleo e a mineração. A Foxconn fatura US$ 100 bilhões por ano e é responsável por 5% das exportações chinesas.

*Com informaçãp: BBC Brasil

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]