Violência continua crescendo no município, afirma Lulinha. Leia esta e outras notícias da CMFS

O vereador Luiz Augusto – Lulinha – (DEM), hoje (20/10/2010), durante discurso na Câmara Municipal, teceu duras críticas ao setor de segurança pública, enfatizando o alto índice de homicídios em Feira de Santana. Segundo o edil, grupamentos especiais da Polícia Militar da Bahia, a exemplo da Caatinga, deixaram de patrulhar o município, após as eleições do dia 03 de outubro.
Para Lulinha, o governador Jacques Wagner usou a polícia especializada como estratégica eleitoral. “Acabaram as eleições, recolheram todo o aparato policial para Salvador. Ninguém está mais vendo viaturas da Caatinga na cidade. A violência está cada vez mais crescendo. Feira de Santana já contabiliza mais de 20 homicídios este mês. Só no bairro da Conceição dois jovens foram assassinados. Hoje, eu ouvi também na imprensa que no bairro Feira X mais uma pessoa foi assassinada. Ninguém faz nada para conter essa onda de violência”, reclama.
Lulinha disse que o povo só elegeu no 1º turno o governador Jaques Wagner porque o presidente Lula pediu. “Não foi por serviço prestado”, afirmou. Na sequência, o edil completou: “esse governo não fez nada por Feira de Santana, não trouxe uma fábrica para gerar empregos; a violência aumentou; a saúde está precária, no Hospital Clériston Andrade é um absurdo e o Hospital da Criança quase não funciona”.
Na oportunidade, o vereador também chamou a atenção dos órgãos competentes para o cumprimento das leis municipais, com destaque para a lei de sua autoria que obriga bancos a manter vigilante nos caixas eletrônicos. De acordo com Lulinha, a fiscalização dessa lei compete ao Procon.  Para ele, o trabalho do órgão está sendo prejudicado com a saída de Magno Felzemburg do cargo de diretor do Procon.
Tourinho volta a criticar a educação da rede pública municipal
O vereador Roberto Tourinho (PSB), hoje (20/10), em seu discurso proferido na tribuna da Casa Legislativa, voltou a tecer duras críticas ao Governo Municipal. Segundo ele, são equivocadas as declarações – na imprensa e na Câmara – dos edis Roque Pereira (PT do B) e Eremita Mota (PP), defendendo os avanços da educação na gestão do prefeito Tarcízio Pimenta.
De acordo com Tourinho, a vereadora Eremita disse que, no governo passado, a educação era pior do que hoje e, no entanto, os vereadores oposicionistas não se pronunciavam. “Em primeiro lugar, nós da oposição, sempre fizemos críticas a educação. Nos oito anos que José Ronaldo foi prefeito, eu fiz as críticas, porém, eu não tenho conhecimento que em  governos passado se plantassem maconha nas escolas da rede pública municipal. A única vez que se plantou maconha numa escola do Município foi no governo de Tarcízio Pimenta”, declarou o edil.
Ele salientou que “o prefeito está na metade do mandato e não construiu uma única escola em Feira de Santana”. Em seguida, Tourinho afirmou que a Prefeitura desperdiçou muito dinheiro comprando cerca de 300 condensadores de água (bebedouros digitais), no valor individual de R$ 6.800,00 para as escolas. “A maioria desses filtros está quebrado”, garantiu  o vereador.
Tourinho denunciou também que algumas escolas da rede pública municipal foram pintadas com tinta em pó Hidrax. Ele disse ainda que muitos computadores – que se encontram em escolas reformadas – não estão funcionando, devido à falta de instalação elétrica.
Ribeiro afirma que discurso de Tourinho sobre maconha é sensacionalista
O vice-líder da bancada governista, vereador Antônio Francisco Neto, o Ribeiro (DEM), hoje (20), durante seu discurso na sessão legislativa, condenou o discurso do vereador oposicionista Roberto Tourinho (PSB), no que tange a plantação de maconha em escolas da rede pública municipal. Segundo Ribeiro, a droga, encontrada no início deste mês, na Escola Antônio Carlos Coelho, no bairro Santo Antônio dos Prazeres, foi um acontecimento isolado.
Para o edil, “não é correto responsabilizar o prefeito Tarcízio Pimenta, visto que existem cerca de 200 escolas no Município e somente em um estabelecimento de ensino foi constatado um pé de maconha”.
  Na oportunidade, o vice-líder da bancada governista aconselhou o vereador Tourinho. “Vossa Excelência, um vereador experiente, que tem cultura, um vereador bem visto pelo povo de Feira de Santana vem com esse discurso cansado e maldoso na tribuna da Câmara. Vamos terminar com isso”, disse Ribeiro, acrescentando que, segundo informações alheias, as críticas do oposicionista ao prefeito são por razões pessoais.
IBGE deve divulgar os nomes de quem não permite acesso de recenseadores em Feira de Santana, diz vereador
A dificuldade que está sendo criada, em Feira de Santana, nos condomínios da classe alta, para que seja realizado o trabalho dos recenseadores do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE),  preocupa o vereador Marialvo Barreto. Em discurso na Câmara Municipal, nesta quarta-feira (20/10), o petista disse que esse procedimento poderá causar sérios prejuízos à população, com a ameaça de que se chegue a um número de habitantes fora da realidade.
De acordo com a direção local do IBGE, em entrevistas concedidas para a imprensa feirense, nos locais onde vivem famílias de condições financeiras mais abastadas, na cidade, os recenseadores não estão conseguindo ter acesso aos domicílios para realizar as entrevistas necessárias para a contagem da população.
Vários indicadores importantes para o município, especialmente na área de saúde, dependem dos números populacionais. Caso a quantidade de habitantes de uma cidade seja subdimensionada, isto significa perda de recursos federais, destinados a diversas áreas.
“Isto acontece em Feira por puro preconceito. A elite local não permite o trabalhador adentrar sua residência. Reflexos da época da escravidão que podem  causar enormes prejuízos ao município”, diz ele. O vereador Marialvo lamenta que o fato não seja denunciado com a devida importância por parte da imprensa. “O problema envolve gente que tem poder na mídia. Não terão seus nomes divulgados. O IBGE deveria divulgar os nomes”, defendeu.
David Neto defende secretaria específica para atuar no cumprimento de leis municipais
Em discurso na Tribuna da Câmara, na sessão desta quarta-feira (20/10), o vereador David Neto propôs ao prefeito Tarcízio Pimenta criar, na estrutura do governo, uma secretaria responsável exclusivamente pela fiscalização de leis existentes no Município. Em sua opinião, esse é um dos mais graves problemas enfrentados pela população de Feira de Santana.
“Temos muitas leis importantes, que se fossem devidamente cumpridas, estariam dando uma grande contribuição à melhoria da qualidade de vida do nosso povo. É necessário que o governo adote uma medida nesse sentido”, afirmou o vereador, futuro advogado e  atual presidente da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara.
David Neto lembrou duas leis de sua autoria que não estão sendo cumpridas no Município. “São várias, mas posso citar agora a que obriga os bancos a instalar um painel opaco nos locais onde são efetuados os saques, para evitar a saidinha bancária, e a que determina, nos shoppings, a instalação de um pronto-atendimento para socorro de clientes que possam sofrer mau súbito em suas dependências”.
Sua proposta obteve o apoio imediato do vereador José Sebastião, que o aparteou para se manifestar. Indignado com essa situação há muito tempo, ele reafirmou o que já dissera em outros discursos sobre o assunto. Segundo o edil, quem mais “desdenha e desrespeita da Câmara e o povo de Feira” são os banqueiros. “Também defendo uma secretaria ou um órgão específico para acompanhar o cumprimento das leis municipais”, disse.
Sebastião mencionou a lei que impede o uso de celulares nas agências como exemplo de descumprimento da legislação por parte dos bancos. “A mais conhecida lei municipal ignorada pelos bancos é a que estabelece 15 minutos como tempo máximo de espera nas filas, mas existem outras várias leis aprovadas pela Casa que não são cumpridas”, afirmou.
Luiz Augusto diz que continua firme na bancada do governo Tarcízio Pimenta
O vereador Luiz Augusto de Jesus assegurou, em discurso na sessão de hoje (20/10) da Câmara Municipal, que continuará fazendo parte da bancada do prefeito Tarcízio Pimenta, embora exista um movimento no sentido de afastá-lo do governo. “Tem gente de olho nos cargos que indiquei na administração e torcendo para que eu deixe a bancada de sustentação do governo”, afirmou.
“Sou do Democratas, o mesmo partido do prefeito que ajudei a eleger e tenho o dever de defendê-lo, como venho fazendo no meu trabalho aqui na Câmara. O governo deve também ser atencioso com este vereador, o que vem ocorrendo”, comentou.  Segundo ele, o prefeito vem atendendo normalmente suas reivindicações, no que diz respeito a realização de melhorias em bairros e distritos de Feira de Santana.
Garante que se sente prestigiado pelo governo. “São várias solicitações da comunidade, que apresentei, cumpridas pelo prefeito”, disse o vereador. Lembrou de duas ruas que estão sendo pavimentadas  no bairro Conceição, a reforma da Creche Tio Jonas, no Parque Brasil, além de escolas construídas ou reformadas na Matinha, Candeal 2 e Jaíba.
O vereador Antônio Francisco Neto, vice-líder do governo, declarou que o prefeito tem admiração pelo trabalho do vereador Luiz Augusto. “Eu, pessoalmente, atuo pela harmonia na bancada, pelo seu fortalecimento, jamais pela desunião”.
Justiniano quer apurar sobre faixa de candidato a deputado em reunião de órgão federal
O vereador Justiniano França afirmou que vai apurar, nos próximos dias, a data em que ocorreu uma reunião, promovida pelo escritório regional da Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola (EBDA) em Feira de Santana. O motivo da curiosidade é que, ao verificar uma reportagem na televisão, sobre o encontro, ele disse ter identificado no local uma faixa com propaganda eleitoral do então candidato a deputado federal Emiliano José, do PT, o partido do governador Jaques Wagner.
Segundo ele, a imagem era muito clara. No local onde acontecia uma reunião administrativa, havia uma faixa com o nome do candidato, apoiado pelo ex-governador Waldir Pires, com uma estrela do PT. “Pretendo apurar onde exatamente aconteceu a reunião e se foi antes, durante ou depois das eleições”, disse o vereador.
Justiniano informou que a palestrante da reunião era a representante da EBDA e a matéria jornalística apresentou uma entrevista com a coordenadora do órgão em Feira de Santana. “Se o encontro de trabalho ocorreu durante a campanha eleitoral, o fato é grave. Estamos, por enquanto, diante de suspeitas e precisamos averiguar direito”.
Tarcízio só deve manter no cargo quem acompanhar sua palavra, diz Antônio Francisco Neto
“Só deve ficar no governo quem fala a palavra do prefeito”. A declaração é do vereador Antônio Francisco Neto. Uma das principais lideranças do Democratas em Feira de Santana, 1º secretário da Mesa Diretiva e vice-líder da bancada do governo na Câmara, ele fez um pronunciamento, esta semana, sobre as especulações que circulam nos meios políticos locais.
Para o experiente vereador, o prefeito precisa ter todo o cuidado. “Não deve permitir que fiquem na administração aqueles que podem, cinco seis meses antes da eleição, abandonar o barco e ir apoiar outro candidato”, opina.
Em seu entendimento, o prefeito de uma cidade de 600 mil habitantes, como Feira de Santana, tem que dizer: “eu sou o prefeito de fato e de direito. Administrar engessado não dá certo. A cidade tem seus problemas e o prefeito precisa se responsabilizar por tudo o que acontece no âmbito da administração. Tem que ter pulso. Deve dizer: a parada é comigo”.

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]