Projeto de restauração em Alagoinhas fica pronto até janeiro de 2011

A Estação Ferroviária de Alagoinhas – também conhecida como São Francisco – passa pela primeira das três etapas de projeto que viabilizará a restauração do prédio. Após ser tombada como Patrimônio da Bahia pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (IPAC) em 2002, a estação foi beneficiada como um dos projetos vencedores da política pública de editais desse órgão estadual, vinculado à secretaria de Cultura (SecultBA).

A política de editais do IPAC visa apoiar propostas da sociedade civil para a salvaguarda dos patrimônios culturais da Bahia já aprovando 24 projetos no período de dois anos, entre 2008 e 2010, totalizando mais de R$ 2,2 milhões investidos. Os editais são complementados com obras de restauração que o IPAC realiza em todo o estado beneficiando bens culturais edificados da Bahia. De 2007 até agora (2010), o IPAC gerenciou cerca de R$ 70 milhões em obras por todo o estado.

“Somente as restaurações de seis monumentos no Centro Histórico de Salvador somam R$ 20 milhões, através do Prodetur, programa do Ministério do Turismo”, informa o diretor de Patrimônio do IPAC, Paulo Canuto. Em Cachoeira e São Félix, no Recôncavo baiano, e em Lençóis na Chapada Diamantina, o IPAC gerencia R$ 49,2 milhões em obras que recuperaram ruas, avenidas, praças, igrejas, construções públicas e privadas, originárias, em sua maioria, dos séculos 18, 19 e 20, com recursos do programa Monumenta do Ministério da Cultura.

Já a estação de Alagoinhas tem apoio de R$ 98 mil do IPAC para seu projeto executivo de rstauração. O prédio é originário de duas fases, 1863 e 1880 – ambas do período do império brasileiro – e está em Alagoinhas, cidade localizada a 108 quilômetros de Salvador. A edificação foi contemplada pelo edital nº09/2009 que prevê Apoio à Elaboração de Projetos para Bens Imóveis. Depois de concluídas as três etapas do edital e com projeto pronto, a Fundação Iraci Gama de Cultura, entidade de Alagoinhas que inscreveu e venceu essa categoria, poderá concorrer a outro edital do IPAC para executar as obras.

Segundo o gerente de Pesquisa e Legislação do IPAC, Mateus Torres, a estação de Alagoinhas se tornou ícone da história das ferrovias na Bahia, pois nela trafegavam vagões que transportaram pessoas e importantes mercadorias por muitos anos entre Salvador, Aracajú e Juazeiro. A edificação, construída com materiais importados da Inglaterra e da França, é composta por tijolos aparentes, telhados cerâmicos de quatro águas, marquises metálicas, janelas e portas em arco encimadas com ferro fundido.

A estação localizava-se a dois quilômetros da primitiva cidade, atual Alagoinhas Velha. Em torno dela surgiu povoação conhecida como Estação, que atraiu feira, comércio e residências, dando origem a nova cidade, consolidada por volta de 1868. À frente da estação está a vila operária e um pequeno chalé, a Casa do Agente. Um pavilhão é de 1863 e o outro do início do século 20. Para o presidente da Fundação Iraci Gama, proponente do projeto, José Reis, a estação é um bem inalienável. “Os recursos do IPAC nos dão esperança de conseguirmos reformar o prédio”. Mais dados sobre os Editais do IPAC são disponibilizados via endereço eletrônico [email protected] e telefones (71) 3117- 6491 ou 3117-6492.

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]