OIT e Brasil firmam parceria para responder a desastres naturais

Governo brasileiro vai investir US$ 1 milhão no projeto, que terá duração de três anos; Haiti, Nigéria e países de língua portuguesa na África serão os primeiros beneficiados.

A Organização Internacional do Trabalho, OIT e o governo do Brasil lançaram nessa quarta-feira um programa para aumentar a resposta a desastres sociais e naturais.

O projeto terá a duração de três anos, com o objetivo de melhorar a capacidade dos países em assistência humanitária, dar formação sobre a prevenção de desastres naturais e ajudar regiões afetadas a lidar com a recuperação pós-conflito.

Haiti e Nigéria

Os primeiros países a se beneficiarem serão Haiti, Nigéria, Timor-Leste, as nações de língua portuguesa na África além dos territórios palestinos.

Para o diretor geral da OIT, Juan Somavia, “a liderança, o compromisso e a experiência do Brasil têm sido um exemplo autêntico de assistência humanitária internacional”. Somavia destacou ainda o papel fundamental que o desenvolvimento econômico e a inclusão social podem desempenhar no gerenciamento de crises, como o terremoto no Haiti.

Investimento

O governo brasileiro vai investir US$ 1 milhão no programa, equivalente a mais de R$ 1,7 milhão. Ao oficializar a parceira, a embaixadora do Brasil na ONU em Genebra, Maria Nazareth Farani de Azevêdo, destacou que o projeto “é uma contribuição para os esforços da OIT em prevenir os efeitos dos desastres sociais e naturais”.

Na primeira fase, haverá capacitação de 276 funcionários de governos no programa, desenvolvido pelo Centro de Treinamento da OIT em Turin, na Itália.

*Com informações da Rádio ONU em Nova York

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]