Feira de Santana: José Ronaldo afirma que só se posicionará sobre a questão da sucessão municipal após as eleições de 2010

José Ronaldo afirma que só se posicionará sobre a questão da sucessão municipal após as eleições de 2010.

José Ronaldo afirma que só se posicionará sobre a questão da sucessão municipal após as eleições de 2010.

Em recente entrevista concedida ao estudante de jornalismo Ferreira Junior, programa Última Hora, Rádio Subaé, o candidato  ao senado, ex-prefeito José Ronaldo de Feira de Santana, embora tenha sido bem votado e tendo  abiscoitado mais de um milhão de votos, não conseguiu se reeleger. Ele fez uma ampla abordagem sobre a sua caminhada política no pleito de 2010.

Após os cumprimentos iniciais José Ronaldo agradeceu à Feira de Santana os 86,7% dos votos válidos recebidos e adiantou que a sua experiência foi positiva “atualmente sou um político mais conhecido na Bahia”. Também fez uma análise sobre o desempenho político do seu partido (Democratas) neste período eleitoral. Adiantou que não é fácil fazer campanha política na oposição e lembrou que na eleição passada o seu partido elegeu apenas o governador do Distrito Federal,  José Roberto Arruda, que posteriormente foi caçado. E que em 2010, o seu partido elegeu o governador de Santa Catarina e a governadora do Rio Grande do Norte, além de 43 deputados federais, atendendo as expectativas de sua agremiação política.
Na sequência da entrevista o ex-prefeito definiu a atual situação política como um “vai e vem” e a título de consolo justificou a pífia votação do seu partido alegando que a mesma foi superior em algum momento ao obtido pelo PT no passado. “A politica é assim mesmo, hoje é uma coisa, amanhã é outra coisa”. Mais uma brilhante análise de José Ronaldo ao procurar definir os rumos da atual política no país.
Derrota de Souto
O ex-prefeito feirense avaliou a derrota de seu padrinho político, Paulo Souto, como consequência do momento político atual e tentou ameniza-la usando como justificativa o fato do mesmo ter obtido uma votação mais expressiva do que o candidato peemedebista Geddel Vieira Lima que era ministro, além de contar com o apoio de vários prefeitos baianos.
O entrevistado disse ao ser questionado porque não foi o candidato ao governo pelo seu partido no lugar de Paulo Souto  que já se encontrava com a imagem desgastada. “ Olha! eu   fiz uma escolha consciente, como uma missão. Acho que a gente não deve abraçar a causa pública apenas achando que é melhor ser aquilo ou aquilo outro”. Ronaldo garante que continua trabalhando no segundo turno e se definiu como um político que trabalha em cima  ideias e propostas, que a situação nesta fase eleitoral está equilibrada e que no dia 31 de outubro o povo fará o seu julgamento.
Também falou já ter feito viagens ao lado do presidenciável José Serra e acredita  que ele deverá fazer uma visita à Feira nesta campanha de segundo turno. No tocante aos votos obtidos pela candidata Marina Silva (PV), no primeiro turno, Ronaldo considera que a sua grande maioria está migrando para o candidato do PSDB.
Campanha eleitoral
 Ao ser questionado sobre o rumo de sua campanha eleitoral ao senado, o ex-prefeito disse que contou com muitos cartazes e chamou a atenção  para o seu horário disponível  no  rádio e especialmente na TV, onde teve à sua disposição apenas o tempo de um minuto e meio. ”Quando o programa começava e que a minha cara aparecia e eu começava a gostar tinha terminado”.
Com relação ao tempo político disponível na TV de Paulo Souto, Ronaldo definiu a situação com frases precisas e dignas de um candidato como  Tiririca: “ O tempo de Souto era Tititico, enorme, muito pequeno, então a gente tinha que aproveitar esse tempo o máximo possível”. Com relação ao fato do candidato ao senado, José Ronaldo, não ter aparecido programa  ao lado de Souto, ele justificou a falha sob a alegação de  que o  único politico a aparecer foi Aécio Neves e uma outra figura que ele não se recordava, no momento.
Ronaldo X Tarcízio
O racha  na cumplicidade política existente entre Zé Ronaldo e o prefeito Tarcízio Pimenta. O ex- prefeito disse que comentário desse tipo existia antes mesmo do atual prefeito tomar posse e que os boatos continuam existindo. ”Eu nunca tratei desse assunto e não vou tratar”. Em relação ao adesivo que já circula na cidade em que insinua a volta de Ronaldo à prefeitura de Feira em 2012, ele diz não ser do seu conhecimento e quem o conhece sabe que ele não costuma antecipar as suas campanhas políticas. Indagado se vem mantendo contatos com o prefeito, ele garante  ter mantido contato antes e depois da eleição  quando o convidou para participar de uma reunião do partido, o que acabou não acontecendo devido o prefeito ter alegado estar com a agenda sobrecarregada no período.

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]