Datafolha mostra Dilma com 6 pontos percentuais de vantagem sobre Serra

“Vocês têm boa memória, ninguém é esquecido, todo mundo lembra como o Brasil era. Todo mundo lembra quando as pessoas não tinham emprego. Eles [do PSDB] criaram uma categoria de gente: os que não podiam ter emprego. A culpa, segundo eles, era do povo. Prestem atenção nas promessas, são promessas que eles nunca realizaram antes. Prestem atenção que nós aparecemos nessas eleições apresentando o que já fizemos”, discursou.

“Vocês têm boa memória, ninguém é esquecido, todo mundo lembra como o Brasil era. Todo mundo lembra quando as pessoas não tinham emprego. Eles [do PSDB] criaram uma categoria de gente: os que não podiam ter emprego. A culpa, segundo eles, era do povo. Prestem atenção nas promessas, são promessas que eles nunca realizaram antes. Prestem atenção que nós aparecemos nessas eleições apresentando o que já fizemos”, discursou.

A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, mantém a vantagem sobre o candidato do PSDB, José Serra, na disputa do segundo turno da eleição presidencial. A pesquisa Datafolha divulgada hoje (15/10/2010) mostra Dilma com 47% das intenções de voto e Serra com 41%.

Em relação à rodada anterior do Datafolha, na última semana, Serra se manteve estável e Dilma perdeu 1 ponto percentual. A variação está dentro da margem de erro da pesquisa, que é de 2 pontos. Votos brancos e nulos somaram 4% e 8% dos eleitores se declararam indecisos.

Considerando apenas os votos válidos, Dilma tem 54% e Serra, 46%.

A pesquisa foi encomendada pela Rede Globo e pelo jornal Folha de S.Paulo. O Datafolha ouviu 3.281 eleitores de 202 municípios entre os dias 14 e 15 de outubro. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral com o número 35.746.

Lula e Dilma afirmam que o país não pode retroceder

Milhares de pessoas lotaram a praça principal de Ananindeua, na Região Metropolitana de Belém, para um dos maiores comícios da campanha de Dilma Rousseff à Presidência da República, quando foram exortadas por ela a dar continuidade ao projeto do presidente Lula e ouviram um alerta: todos devem usar a memória e comparar as vantagens no cotidiano de cada um depois que o governo petista assumiu, em 2003.

“Vocês têm boa memória, ninguém é esquecido, todo mundo lembra como o Brasil era. Todo mundo lembra quando as pessoas não tinham emprego. Eles [do PSDB] criaram uma categoria de gente: os que não podiam ter emprego. A culpa, segundo eles, era do povo. Prestem atenção nas promessas, são promessas que eles nunca realizaram antes. Prestem atenção que nós aparecemos nessas eleições apresentando o que já fizemos”, discursou.

A petista lembrou aos eleitores paraenses dos tempos do Fundo Monetário Internacional (FMI). “Vocês se lembram disso, das imagens deles chegando no aeroporto e dizendo que não podia investir em estrada, em escola, que não podia aumentar o salário mínimo. Eles sempre foram contra os gastos sociais. Nós mostramos que o Brasil ia crescer tanto mais quanto mais investisse no trabalho do povo e na qualidade de vida da nossa população”, disse.

Por isso, segundo Dilma, é preciso manter o projeto do governo Lula nos próximos quatro anos, garantindo avanço do nordeste e dos mais pobres para que haja uma sociedade mais justa. A petista pediu que até o dia 31 todos disputem voto a voto para que não aconteça um retrocesso no Brasil.

Lula

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva também pediu aos eleitores que pensem bem antes de dar o voto para evitar que as forças do atraso regressem ao comando do país e do Pará.

“O que eles querem é interromper a continuidade de um processo vitorioso, porque para eles esse negócio de pobre viajar de avião está lotando os aeroportos, esse negócio de pobre comprar carro piora o trânsito, esse negócio de pobre tomar café, almoçar e jantar é demais, esse negócio de filho de pobre na universidade está errado porque antes era só deles”, afirmou o presidente, mostrando as diferenças entre o projeto do atual governo e o dos tucanos.

Ao final, Lula pediu que os paraenses firmassem um compromisso com ele e que lhe dêem como presente de aniversário a vitória de Dilma no segundo turno. “Eu, daqui a 77 dias deixarei a presidência e eu quero que vocês assumam um compromisso comigo. A gente não pode, em hipótese alguma, sofrer qualquer retrocesso nesse país. Não podemos sofrer qualquer atraso. Os trabalhadores rurais não podem voltar a ser humilhados como eram antes do nosso governo”, pediu Lula.

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]