Eleições 2010 – Bahia: Jaques Wagner ganharia no primeiro turno com 58% dos votos válidos e Paulo Souto (DEM) fica em segundo lugar, segundo pesquisa DataFolha

A menos de duas semanas das eleições, pesquisa realizada pelo Datafolha revela que o atual governador Jaques Wagner (PT) diminui a vantagem que era de 37 pontos em relação ao ex-governador Paulo Souto (DEM), para 27 pontos. Wagner tem 48% das intenções de voto contra 21% de Souto. Paulo Souto cresceu cinco pontos percentuais em relação à pesquisa anterior, de 14 de setembro, quando tinha 16%. O atual governador caiu cinco pontos percentuais e agora tem 48% das intenções de voto. O ex-ministro Geddel Vieira Lima oscilou positivamente um ponto percentual e agora têm 12% das intenções de voto baianas para o governo estadual.

Bassuma (PV) atingiu 2% das citações e Marcos Mendes (PSOL) e chegou a 1%. Os candidatos Professor Carlos (PSTU) e Sandro Santa Bárbara (PCB) foram citados mas não alcançaram 1% das intenções de voto. Dos eleitores, 5% afirmam votar em branco ou anular o voto e 11% não sabem ainda em quem votar.

O levantamento ouviu 1100 eleitores baianos entre os dias 21 e 22 de setembro de 2010, em 43 cidades do estado da Bahia. A margem de erro desta pesquisa é de 3,0 pontos percentuais para mais ou para menos.

No cálculo de votos válidos, onde a taxa de votos brancos, nulos e indecisos é excluída, Jaques Wagner continuaria ganhando a eleição baiana no primeiro turno com 58% dos votos válidos, contra 25% de Paulo Souto e 14% de Geddel Vieira Lima. Na pesquisa anterior, esses índices eram respectivamente: 64%, 20% e 13%.

Jaques Wagner, perdeu pontos principalmente entre os que moram no interior (de 53% para 46%), entre o público feminino (de 50% para 44%), entre os baianos com idade entre 35 e 44 anos (de 58% para 45%) e entre os menos escolarizados (de 50% para 43%). Souto, por sua vez, melhorou seu desempenho principalmente no interior (de 16% para 22%), entre os homens (de 13% para 21%), entre os mais jovens (de 13% para 19%) e entre os mais ricos (de 18% para 25%).

Sem a apresentação do cartão dos candidatos, na intenção de voto espontânea, Wagner tem 36% das citações, índice que oscilou dois pontos percentuais em relação à pesquisa anterior (era 38%). Paulo Souto, aparece com 10%, oscilando positivamente três pontos percentuais em relação à pesquisa de 14 de setembro. Geddel Vieira Lima chega a 6%. Bassuma aparece com 1% das citações e outros candidatos, assim como na pesquisa passada, não atingiram 1% das citações. Não souberam responder 35% (eram 39%). E 5% afirmam votar em branco ou nulo.

Paulo Souto tem 34% de rejeição entre os baianos (eram 37% na pesquisa anterior, e já foi 29% em julho, 26% no início de agosto, 31% no final de agosto e 32% no início de setembro). Geddel Vieira Lima tem rejeição de 24% (eram 25% na pesquisa anterior). Jaques Wagner surge com 15% de rejeição, oscilando um ponto percentual em relação a pesquisa anterior (era 14%). Entre os candidatos de partidos menores, aparece Bassuma (PV), com 22% de rejeição, Marcos Mendes (PSOL) com 18%, Professor Carlos (PSTU) com 19%, e Sandro Santa Bárbara, do PCB com 20%. Não rejeitam nenhum candidato somam 7%, e outros 3% rejeitam todos os candidatos apresentados. Não sabem, 14%.

Apresentado aos eleitores um cenário de segundo turno com Jaques Wagner e Paulo Souto, Wagner tem a sua vantagem diminuída em relação a Paulo Souto e surge com 60% das citações contra 29% de Paulo Souto. Na pesquisa anterior esses índices eram 64% e 24% respectivamente.

A menos de duas semanas para o primeiro turno da eleição, 54% dos eleitores baianos que declaram ter um candidato ainda não sabem como fazer para confirmar sua escolha na eleição de outubro (era 57% na pesquisa anterior). Respondem corretamente 40% (eram 37%) e dão respostas incorretas 3%.

Os eleitores de Jaques Wagner são os que mais conhecem o número de seu candidato (13): 51% citam corretamente o número quando questionados (eram 45% na pesquisa anterior). Entre os que votam em Paulo Souto, esse índice é de 31% (era 21%), e entre os eleitores de Geddel Vieira Lima, 27% (era 34%). Dos eleitores de Wagner, 46% não sabem o número do petista (eram 54%), e entre os eleitores de Paulo Souto, 65% não sabem o número do seu candidato (eram 75%).

Permanece empate para o Senado

A menos de duas semanas das eleições, a disputa pelas duas vagas baianas ao senado continua acirrada, é o que revela pesquisa Datafolha: César Borges (PR), 29%, Lídice (PSB), 28% e Walter Pinheiro (PT), 25%, estão tecnicamente empatados. Na pesquisa anterior, de 14 de setembro, os índices eram 29%, 28% e 27% respectivamente, já caracterizando o empate técnico. José Ronaldo (DEM) oscilou um ponto percentual e agora tem 12% (era 11%). Edvaldo Brito (PTB) tem 10% (era 9%), Aleluia (DEM), que tinha chegado a 7% na pesquisa anterior, volta ao patamar anterior, de 12% e Edson Duarte (PV), manteve 3% das citações. Surgem ainda os candidatos do PSOL, Zilmar, com 2% e França, com 1%. Albione (PSTU) foi citado porém não alcançou 1%.

Este ano, como são duas escolhas ao senado, dos eleitores baianos, 13% afirmam votar em branco para uma das vagas, e 7% para as duas vagas. Não sabem em quem votar para uma das vagas, 33% e para as duas vagas, 26%.

Foram ouvidos 1100 eleitores na Bahia em 43 municípios entre os dias 21 e 22 de setembro de 2010, e a margem de erro máxima para esta amostra é de 3,0 pontos percentuais para mais ou para menos.

O Datafolha passa a divulgar também os resultados de sua pesquisa sobre as intenções de voto para o senado com o cálculo que o Tribunal Superior Eleitoral utilizará na apuração oficial. A base de cálculo deixa de ser o total de eleitores e passa a ser o total de votos, o que não provocará mudanças de tendências, mas altera apenas os percentuais obtidos pelos candidatos. Este procedimento vale para o cálculo dos votos válidos.

No cálculo dos votos válidos, os votos brancos, nulos e indecisos são excluídos. Como cada eleitor pode votar em dois candidatos ao senado, a soma dos percentuais divulgados pelo Datafolha até aqui é igual a 200%. Com o cálculo adotado pelo TSE, considerando-se a base de total de votos, os resultados somarão 100%. Assim, as taxas de menção aos candidatos serão inferiores às verificadas até aqui. É importante a divulgação dos dois resultados.

No cálculo dos votos válidos para o senado da Bahia, César Borges tem 24% das citações, Lídice, 23% e Walter Pinheiro, 21%. José Ronaldo e Aleluia aparecem com 10%, cada, e Edvaldo Brito com 8%. Na região metropolitana de Salvador, nesse cenário, Lídice destaca-se, com 31%, seguida por Walter Pinheiro, com 24% e com 20%, César Borges. Já no interior, Borges tem 25%, Lídice, 20% e Walter Pinheiro, 19%.

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]