Senador João Durval reafirma defesa da semana de 40 horas

Senador João Durval defende a jornada de 40 horas semanais de trabalho.

Senador João Durval defende a jornada de 40 horas semanais de trabalho.

O senador João Durval Carneiro (PDT-BA) disse nesta quinta-feira (06/05/2010) que o povo brasileiro já está maduro para a jornada de trabalho de 40 horas semanais. Lembrando que o seu partido defende em seu programa essa nova carga horária, “a fim de combater o desemprego e aumentar o tempo livre do trabalhador”.

– Entendemos que o trabalho é a fonte de todos os bens e riquezas e que seus valores não são apenas econômicos, mas igualmente valores humanos, éticos, culturais e políticos. Defendemos, portanto, os valores humanos a partir do trabalho como uma das verdadeiras dimensões de justiça no conjunto das relações sociais – afirmou.

Durval citou o mestre indiano de Kriya Yoga, Paramahansa Yogananda (1893-1952), que defendia a divisão da semana em trabalho, diversão e cultivo do espírito, sendo cinco dias para ganhar dinheiro, um dia para descansar e um dia para praticar a introspecção e a realização interior.

O senador também citou o empresário do ramo automobilístico Henry Ford, que era apoiado por Yogananda. Ele via no lazer um valor industrial positivo, porque tinha a capacidade de aumentar o consumo. Segundo Ford, onde os povos trabalham mais, por muito tempo e com menos lazer, compram poucos bens.

– Não acredito que Henry Ford, o pai da indústria automobilística, e Yogananda, um dos maiores vultos espirituais contemporâneos, estivessem enganados. Por essa razão, sou um entusiasta da redução da jornada para 40 horas semanais – afirmou.

Durval listou como benefícios da jornada de 40 horas semanais a redução da incidência de doenças profissionais e de acidentes de trabalho; e a melhoria da qualidade de vida dos trabalhadores, que teriam mais tempo para se dedicar a outras atividades, como convívio com a família, estudos, lazer, atividades sociais, culturais e políticas. Ele assinalou que a maioria dos países industrializados já adota o sistema de 40 horas semanais.

– De acordo com o Dieese, apesar de os salários representarem 22% dos custos de produção, a redução da jornada de 44 para 40 horas semanais teria um impacto de apenas 1,99% nesses mesmos custos – observou.

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]