Papa aceita renúncia de bispo alemão

O papa aceitou a renúncia do bispo de Augsburgo, Walter Mixa, um dia após a revelação de acusação contra ele, de suposto abuso sexual de menor. Semanário “Der Spiegel” revela novas supostas acusações contra o religioso.

O Vaticano declarou, em comunicado divulgado neste sábado (08/05/2010), que o papa Bento 16 aceitou a renúncia do controverso bispo de Augsburg, Walter Mixa, envolvido no escândalo de abuso sexual contra menores que há semanas vem abalando a imagem da Igreja Católica na Alemanha.

Mixa, de 69 anos, apresentou sua renúncia ao papa em 21 de abril, depois de sofrer pressões, devido a acusações de que teria maltratado crianças décadas atrás. Na sexta-feira última, foi divulgado que a promotoria de Ingolstadt está investigando uma outra denúncia contra o religioso, segundo a qual ele teria abusado sexualmente de um menor.

“Um ou outro tapa”

Em abril, o bispo foi acusado por oito supostas vítimas de ter agredido fisicamente crianças de um orfanato há décadas. Ele primeiramente negou a acusação, mas depois admitiu que não “poderia descartar” ter dado “um ou outro tapa” em internos 20 anos atrás, quando ainda era pároco. Ele é suspeito, ainda, de ter desviado verbas de um orfanato.

A acusação de abuso sexual se refere à época entre 1996 e 2005, quando Mixa era bispo da cidade de Eichstätt. Na ocasião, ele teria supostamente molestado sexualmente um menino. O advogado de Mixa, Gerhard Decker, rejeita terminantemente a acusação e afirma que seu cliente está disposto a cooperar para que as investigações sejam concluídas rapidamente.

Revista publica novas acusações

O semanário Der Spiegel divulgou neste sábado a informação de que, quando era bispo em Eichstätt, Mixa teria em diversas ocasiões convidado seminaristas jovens a irem à sua residência privada, em visitas que incluiriam sessões conjuntas de sauna. De acordo com a publicação, nos círculos eclesiásticos há rumores de que ele teria inclinações homossexuais.

A Confederação dos Bispos da Alemanha saudou a decisão do papa. “Os acontecimentos recentes afetaram bastante toda a diocese de Augsburg e a Igreja Católica na Alemanha”, disse o presidente da Conferência dos Bispos da Alemanha, arcebispo Robert Zollitsch, acrescentando ter havido grande perda de credibilidade para a Igreja. “A rápida decisão do papa cria a clareza necessária. Ela dá a todas as partes envolvidas a oportunidade de um recomeço”, avaliou.

A diocese de Augsburg confirmou que levou as acusações de abuso sexual contra Mixa ao conhecimento da procuradoria geral. Zollitsch classificou a decisão como correta, por estar “em conformidade com as orientações da Confederação dos Bispos da Alemanha”.

*Com informações de MD/epd/rtrs

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]