Santa Bárbara: Prefeito Jailson Costa (PT) põe em risco saúde dos munícipes ao autorizar que restos mortais humanos fossem jogados no lixão

Luiz Rangel Mascarenhas do Carmo, vereador em Santa Bárbara, critica descarte de restos mortais no lixão do município e alerta que prática coloca em risco vida de membros da comunidade.

Luiz Rangel Mascarenhas do Carmo, vereador de Santa Bárbara, critica descarte de restos mortais no lixão do município e alerta que prática coloca em risco vida de membros da comunidade.

José Valter Vilas Boas Amorim (Zé Valter), vereador em Santa Bárbara, critica descarte de restos mortais no lixão do município e alerta que prática coloca em risco vida de membros da comunidade.

José Valter Vilas Boas Amorim (Zé Valter), vereador de Santa Bárbara, critica descarte de restos mortais no lixão do município e alerta que prática coloca em risco vida de membros da comunidade.

Restos mortais jogados em lixão a céu aberto, em Santa Bárbara, pela gestão do prefeito Jailson Costa.

Restos mortais jogados em lixão a céu aberto, em Santa Bárbara, pela gestão do prefeito Jailson Costa.

Restos mortais jogados em lixão a céu aberto, em Santa Bárbara, pela gestão do prefeito Jailson Costa.

Restos mortais jogados em lixão a céu aberto, em Santa Bárbara, pela gestão do prefeito Jailson Costa.

Restos mortais jogados em lixão a céu aberto, em Santa Bárbara, pela gestão do prefeito Jailson Costa.

Restos mortais jogados em lixão a céu aberto, em Santa Bárbara, pela gestão do prefeito Jailson Costa.

Ontem por volta das 22 horas recebemos uma ligação do radialista Valter Vieira, âncora do programa de radiojornalismo Ronda Policial (Subaé 1080 AM – Das 12 às 14 horas – Feira de Santana), ele nos convidou a acompanhá-lo ao município de Santa Bárbara para produzirmos uma matéria em conjunto. Sobre restos mortais encontrados no ‘lixão da cidade’ da Santa Bárbara. Também nos acompanhou a produtora do programa e estudante de jornalismo, Mara Vieira.

Ao chegarmos ao local determinado, encontramos uma viatura policial e dois agentes da Polícia Militar. Solicitamos informações, eles entraram em contato com o comando e este não autorizou que fossem dadas entrevistas. O local havia sido isolado e apenas podemos avistar alguns restos mortais e fotografá-los à distância. O policial nos informou que por terem encontrado restos mortais, o local deverá ser devidamente periciado pela polícia técnica, não sendo permitida a contaminação da cena.

Um dos denunciantes, José Valter Vilas Boas Amorim, vereador pelo PSDB de Santa Bárbara, nos informou que ao passar próximo ao cemitério municipal verificou movimentos de uma pá carregadeira e um caminhão. Parou para observar o que ocorria, “identifiquei que restos mortais, acompanhado de alvenaria de cimento e terra estavam sendo removidos e jogados na caçamba, achei tudo estranho e resolvi acompanhar a caçamba que presta serviço a Prefeitura de Santana Bárbara”, explica.

Valter informa que para sua surpresa, os restos mortais dos concidadãos santabarbarense foram jogados no ‘Lixão Municipal’. “Ligaram para o prefeito Jailson Costa dos Santos e este confirmou que autorizou que o serviço fosse realizado no cemitério, mas comentou desconhecer que existiam restos mortais ainda em decomposição”, afirma o Vereador que apresenta como prova uma gravação feita no celular. Ele ainda confirma ter visto além de ossadas, “corpos em decomposição dentro das urnas funerárias que se encontravam no local”.

Luiz Rangel Mascarenhas do Carmo, vereador filiado ao PP, disse ter recebido denúncias e foi acompanhar o caso. “Fui ao cemitério, e verifiquei que a parte do fundo havia sido demolida. Ao entrar verifiquei minações que levam água contaminada para a rua. O ato praticado é um desrespeito para com os moradores que perderam seus entes queridos.”

O crime praticado pela administração Municipal de Santa Bárbara é grave. Ao remover restos mortais sem os devidos cuidados técnicos, expôs os trabalhadores a riscos à sua saúde, além da própria comunidade barbarense que pode ser infectada por doenças levadas por animais e pelo escoamento de águas que entrem em contato com os restos mortais humanos.

Os vereadores disseram que urubus estavam no local se alimentando e que a nascente do Rio Pojuca, que dá nome a cidade de Pojuca fica a poucos metros do ‘Lixão Urbano’. Salientando que o mesmo não atende as condições sanitárias mínimas, pondo em risco a saúde dos munícipes e das pessoas que usam ás águas do rio.

O prefeito petista Jailson Costa é professor licenciado no município e nos deu lições de como não se deve administrar uma cidade. De como o desrespeito a todo o ordenamento jurídico que versa sobre a manipulação de cadáveres pode ser descumprida à revelia do próprio censo comum que versa sobre o respeito aos entes queridos e à saúde pública.

Este é um professor que deve abandonar a vida pública e profissional, retornando à sala de aula na condição de aluno. Para que um dia se torne cidadão exemplar para a comunidade. E acreditem, está é a nação que aspira ser uma das grandes potências do século XXI. Os fatos narrados são lamentáveis sobre todos os aspectos, principalmente pelo fato de ter posto em risco a saúde de toda uma comunidade, além da dor sentimental imposta.

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]