Notícias da PMFS: Feira em 3º na geração de emprego, Mais professores nas referências E e F e Solução para problema dos desabrigados

Feira em 3º na geração de emprego

O Estado da Bahia registrou o melhor saldo do Nordeste para o mês de março, para o trimestre e para acumulado dos últimos 12 meses, de acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego. Além disso, ocupou a sétima posição no ranking nacional. A Bahia obteve também o segundo melhor março da série histórica, sendo superado apenas pelo ocorrido em março de 2008 que foi de 10.595 empregos.

Em março de 2010 foram criados 10.226 empregos celetistas impulsionados pelos seguintes setores: Construção Civil (4.348 postos), da Indústria de Transformação (3.146 postos), de Serviços (2.033 postos) e da Agropecuária (1.121 postos). A agropecuária apresentou saldo de 1.121 empregos com destaque para o cultivo do café que foi responsável por 947 postos desse total. O comércio, contudo, registrou queda de 723 postos de trabalho.

Dentre os municípios com mais de 30 mil habitantes, Feira de Santana ocupou a terceira posição com 1.074 empregos, em segundo ficou Camaçari com 1.470 e em primeiro lugar ficou Salvador com 2.663 empregos.

O município também ocupa o segundo lugar em geração de emprego no ano corrente, com um saldo de 3.312 novas vagas no mercado. Fica depois apenas de Salvador, com 8.587 empregos novos.

Em março, foram criados no Brasil 266.415 novos empregos. O resultado marca o terceiro mês consecutivo de recorde de geração de empregos. Com isso, o país tem o seu melhor primeiro trimestre da história em geração de empregos, com 657.259 novos postos de trabalho abertos. Segundo o ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, que anunciou os números na quinta-feira (15), o mês de abril poderá registrar o maior número de empregos gerados na história do país.

Mais professores nas referências E e F

O município de Feira de Santana possui hoje cerca de 960 professores nas referências E e F. Só na referência E (profissionais graduados) são 450 docentes e na F (pós-graduados) em torno de 510 educadores, segundo o secretário de Educação, José Raimundo de Azevêdo.

O salário inicial para os profissionais da referência E que trabalham 40 horas é de R$ 1.828,69. Já aqueles da referência F, também com 40 horas, recebem R$ 1.936,25. De acordo com o secretário, este valor aumenta após alguns anos e não inclui nenhuma vantagem.

“Para o nível E está na faixa de R$ 2.450,37 e para o F é de R$ 2.594,20. Isso acontece devido ao Plano de Cargos e Salários previsto na Lei 01/94. Nesta lei o professor tem ascensão horizontal, que é por tempo de serviço, e a vertical, por graduação”, explica José Raimundo de Azevêdo. Portanto, o docente começa na referência A, podendo alcançar a F.

Além disso, o secretário esclarece que a Prefeitura de Feira de Santana sempre pagou acima do Piso Nacional, sem estar em época nenhuma abaixo desse piso. Tanto que hoje o Piso Nacional, com base na Lei 11.738 de 16 de junho de 2008, é de R$ 1.024,67 para os professores com 40 horas semanais desde 1º de janeiro de 2010, e a Prefeitura paga ao mesmo nível o valor de R$ 1.075,70, com magistério.

“O piso salarial é muito importante porque nós sabemos que vários municípios na Bahia e no Brasil pagavam menos que o salário mínimo. Para Feira não significou muita coisa, mas para os menores municípios representou melhoria no salário dos professores”, considera o secretário.

Solução para problema dos desabrigados

Com o objetivo de solucionar os problemas das pessoas que ficaram desabrigadas por consequência das chuvas, o prefeito Tarcízio Pimenta esteve reunido com secretários e com o procurador geral do Município, Carlos Lucena, na manhã desta quinta-feira (22).

A preocupação prioritária apontada no encontro se refere à acomodação dos desabrigados que estão cadastrados e assistidos pelo Município do Ginásio Poliesportivo Oyama Pinto da Silva.

Além disso, a Prefeitura vai apoiar essas pessoas na recuperação de imóveis e a repassar novas informações para o Ministério da Integração Nacional e Coordenadoria de Defesa Civil.

Uma equipe formada por membros das secretarias de Habitação, Desenvolvimento Social, Desenvolvimento Urbano e Prevenção à Violência e Promoção dos Direitos Humanos, acompanhada por assistentes sociais e engenheiro civil desenvolvem um trabalho de visitas locais nas residências danificadas e casas que possam ser alugadas.

“Esperamos que até o final de semana ou início da próxima semana tenhamos encontrado e encaminhado todas as soluções. Nenhuma família acolhida no Complexo Poliesportivo foi abandonada pela Prefeitura”, destacou o prefeito Tarcízio Pimenta.

O secretário de Desenvolvimento Social, Maurício Carvalho, citou duas famílias que receberam assistência no Complexo Poliesportivo e que posteriormente a Prefeitura conseguiu locar casas para abrigá-las. “Estamos identificando e solucionando os problemas”, disse.

Outras duas famílias que perderam as moradias e também foram assistidas preferiram retornar às cidades de origem, Bom Jesus da Lapa e Juazeiro, onde vivem familiares.

As famílias que permanecem no abrigo temporário continuam recebendo toda a assistência por parte do Município, a exemplo de alimentação, materiais de higiene, cuidados médicos, psicológicos, religiosos e lazer.

Uso de GPS e cartografia

Técnicos e fiscais da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Naturais participam, nesta quinta-feira (22) e na sexta-feira (23), na Sala de Imprensa Arnold Ferreira da Silva, no Centro de Atendimento ao Feirense (Ceaf), de mais uma série de treinamentos que visam elevar o nível de qualificação no trabalho de licenciamento e fiscalização ambiental.

Desta vez, o curso envolve a utilização de aparelhos tecnológicos, a exemplo de Sistema de Posicionamento Global (GPS) e cartografia – ciência voltada para a elaboração de mapas, unindo conhecimentos científicos e técnicos – com a finalidade de preservar o meio ambiente.

Instrutores do Instituto do Meio Ambiente (IMA), Joseval Almeida, Nivaldo Andrade e Jackson Machado, promovem o treinamento graças a um convênio firmado entre a Secretaria de Meio Ambiente e a Secretaria do Meio Ambiente do Estado.

De acordo com o diretor do Departamento de Licenciamento e Fiscalização, Lucílio Flores, este é o sexto de uma série de sete treinamentos específicos destinados aos 22 técnicos e fiscais da Secretaria. O último, previsto para o mês de maio, será sobre as condutas hospitalares em relação ao meio ambiente.

“A partir daí, as nossas equipes de técnicos elevarão o nível de qualificação e conhecimento sobre licenciamento e fiscalização, especialmente, junto às empresas que causam danos ao meio ambiente”, declarou Lucílio Flores, ao destacar a importância dos treinamentos considerados “necessários para o tipo de trabalho que exercemos”.

Segundo o diretor do Departamento de Licenciamento e Fiscalização informou que a Secretaria adquiriu seis aparelhos de GPS para o trabalho dos técnicos e fiscais no dia-a-dia.

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]