Melhoramento genético do rebanho fortalece produção de leite e carne

Promover o melhoramento genético do rebanho bovino e aumentar a produção de leite e carne no Estado. Estas são metas da Secretaria da Agricultura, Irrigação e Reforma Agrária (Seagri), destacadas pelo secretário Eduardo Salles, durante visita à oitava edição da Expobahia. Aberta quarta-feira, (14), no Parque de Exposições Agropecuárias de Salvador, a exposição agropecuária termina neste domingo, (18/04/2010). Estão participando 300 expositores e dois mil animais, entre bovinos, eqüinos, caprinos e ovinos, além de outros de pequeno porte, como roedores, cães, gatos, aves, mini vacas e répteis. A expectativa é movimentar R$ 6 milhões em negócios.

O secretário Eduardo Salles e sua equipe assistiram à apresentação de cavalos da raça Mangalarga, e estiveram ainda no leilão do Gir Leiteiro, onde o secretário foi homenageado em reconhecimento à contribuição da Seagri para o melhoramento genético. Já o superintendente de Irrigação da Seagri, Marcelo Abreu, foi homenageado pelos bons serviços prestados à agropecuária.

Salles reafirmou que a meta da Seagri é organizar, até o final deste ano, um planejamento estratégico para a agropecuária baiana para os próximos 20 anos. Destacou também a importância do melhoramento genético do rebanho para a produção de leite e carne. “Essa é uma questão de extrema importância e que vem sendo debatida com representantes dos vários elos da cadeia produtiva. O Estado ocupa, por exemplo, a 23ª posição no ranking nacional da produção de leite. Temos tudo para melhorar esse patamar”, frisou o secretário.

Para Luiz Leal, diretor técnico do grupo Gir na Bahia e Sergipe, é preciso muito esforço para aumentar a produtividade. Dos 11 milhões de animais do rebanho, apenas 20% produz leite. E o rendimento de cada animal, em média, é de dois litros e meio por dia. “É uma quantidade ainda pequena, mas pode ser impulsionada. Para isso, é necessário fazer o melhoramento genético de uma grande parte do rebanho”, observou.

Visando melhorar a qualidade do leite e da carne, e incrementar a produção de tourinhos, reprodutores das raças zebuínas de alta qualidade genética, o grupo Gir mantém, há 25 anos, em parceria com a Embrapa, um programa de melhoramento genético que vem demonstrando resultados positivos. Mesmo assim, de acordo com Leal, é preciso que o governo continue dando apoio aos programas de melhoramento genético, a exemplo do Progenética, desenvolvido pela Federação da Agricultura do Estado da Bahia (Faeb), em parceria com a Seagri. “Somente assim, viabilizaremos a melhoria da qualidade genética do rebanho bovino baiano e garantiremos a comercialização em larga escala, fortalecendo as cadeias produtivas do leite e da carne”.

O Progenética visa à melhoria do rebanho e da produtividade, à melhoria da renda do produtor, agregação de valor, melhoria da liquidez de reprodutores, valorização da genética com garantia de qualidade e estabelecimento de critérios de comercialização. O grande diferencial do programa é possibilitar uma uniformidade no rebanho a ser abatido e uma velocidade no ganho de peso, permitindo com isso fazer grandes partilhas, destinadas à exportação. Uma exigência dos compradores externos.

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]