Em que acreditar? | Por Aloísio Vilela

SENHOR, foi para limpar a Terra da podridão causada por nossa depravação moral e espiritual que deixaste teu Universo, o Universo da Criação, onde tudo é eterno, e vieste para o nosso, o condenado Universo da Evolução, pois aqui a finalidade de toda e qualquer vida é a morte.

Para seres “racionais” que, no entanto, foram projetados para tramar contra seus semelhantes, caçá-los e matá-los, transmitiste o correto código de conduta e realizaste feitos miraculosos.

Como premio, ofertaram-te o bárbaro processo de crucificação.

Na cruz, apesar do esgotamento e das dores lancinantes, ainda encontrastes forças para gritar: “Deus meu, Deus meu, por que me abandonaste?”

Logo após este desesperado grito, “descestes a mansão dos mortos”. Depois de tua breve morte, por várias vezes, esporádica e misteriosamente, apareceste aos apóstolos e, em seguida, de corpo e alma, ascendeste ao Céu, isto é, regressaste ao teu Universo.

Tua rápida partida deixou um gigantesco vazio que foi preenchido com a continuação da revolução iniciada por teu ensinamento. Como em toda revolução há sempre um grupo que desce e outro que sobe, tua doutrina foi vitoriosa tornando-se, quantitativamente, a maior religião do Planeta.

Mas, SENHOR, o que adiantou tua vinda a Terra, teu indescritível suplício e os mais terríveis sacrifícios de teus sectários, se vivemos num mundo onde a fé declinou, a paz desapareceu, as doenças aumentaram, a miséria e a criminalidade se multiplicaram, os corações estão cheios de ódio, a traição é irmã legítima da lealdade, a verdade convive irmamente com a mentira, a maldade é filha da bondade e a vingança substitui o perdão?

O que adiantou SENHOR, banhares a cruz e ensopares o solo com teu sangue para nos salvar, se vivemos num mundo onde o que mais cresceu foi o que é ruim, o que não presta?

A maioria esmagadora dos estudiosos concorda que há uma incrível semelhança entre os acontecimentos contemporâneos e os sintomas dos “últimos dias” sabiamente descritos por São Paulo em 2 Timóteo,3:2-4+.

Não percebemos porque o mal que nos asfixia é tão grande que obscureceu nossa mente para não mudarmos nosso espírito.

SENHOR, se atualmente a leitura da realidade representa o fiel retrato das proféticas palavras de São Paulo em que, então, devemos acreditar?

Que nossa será toda e qualquer responsabilidade por tudo o que vier a nos acontecer ou que tua Paixão não foi em vão e longe estamos do fim?

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]