Clima quente na política | Otto responde Borges, Marcelo cotado vice de Wagner, Serra em Salvador, Luiza ataca Geddel e Henrique defende

Vice-governador Otto Alencar critica duramente senador César Borges.

Vice-governador Otto Alencar critica duramente senador César Borges.

“Vindo de César Borges nada me surpreende. Não será surpresa que o senador César Borges negue a responsabilidade de ter mandado espancar os estudantes de Direito da Faculdade Federal da Bahia”, declara Otto Alencar, recém egresso no partido Progressista. Na avaliação de Otto, o Senador César Borges erra ao apontá-lo como autor dos grampos telefônicos quando governava a Bahia. É briga de ex-aliado, fico imaginando o que um sabe do outro e se ambos resolvessem contar. Dá o que pensar.

Marcelo Nilo tem nome contado para vice de Wagner

“Sou soldado do PDT e do governador Jaques Wagner como militante político. E o que os partidos e o governador definirem terão o meu respaldo”, com esta declaração Marcelo Nilo confirma que seu nome é um dos escolhidos para compor a majoritária. O que indica claramente a intenção de Wagner de manter na majoritária quatro partidos, colocando o seu nome como único nome do PT. Ficando: Wagner (PT), governador; Marcelo Nilo (PDT), Vice; Otto Alencar (PP) e Lídice da Mata (PSB) ao senado federal.

Serra em Salvador

O pré-candidato a presidência de república José Serra (PSDB) visita Salvador nesta quarta-feira (14/04). Com baixa popularidade no Nordeste, Serra visita o estado mais populoso comandado pelo petista Jaques Wagner. Na programação visitas ao Mercado Modelo e obras Sociais Irmã Dulce, ambas em Salvador. Segunda cidade mais populosa da Bahia, Feira de Santana, ficou fora do roteiro de visitas do presidenciável.

Maria Luiza ataca Geddel Vieira Lima

A primeira dama de Salvador e deputada estadual pelo PSC, Maria Luiza Carneiro, criticou duramente o deputado federal Geddel Vieira Lima (PMDB) durante discurso preferido na ALBA. Usando termos como farsa e fogo amigo, a deputada disse não acreditar no projeto de governo apresentado por Geddel.

Luiza em seu discurso fala: “Como podem perceber, a minha condição políticaé extremamente delicada, porque, fui além. Por convicção pessoal, não pertenço ao grupo que apóia a candidatura do ex-ministro Geddel Vieira Lima… e sei que isso já me custaria à perda da legenda partidária, o direito de ser candidata…”e segue “Ontem, fui submetida a mais uma seção de pressão, dessa vez fui pega de surpresa, restando apenas duas opções: ou voltar atrás nas minhas decisões ou desistir de continuar a lutar por um mandato. Hoje, falta-me entusiasmo… Por tudo isso, nesse momento, quero anunciar que desisto da minha candidatura a deputada.”

A deputada e esposa do refeito João Henrique, nunca foi notada pelo seu brilho político pessoal. Viveu à sobra do espólio político construído pelo seu sogro, o senador João Durval Carneiro. Desde o início da primeira gestão de João Henrique tem se intrometido negativamente na gestão municipal, sendo responsável por várias trapalhadas do governo de João. Este, sempre que é avaliado, recebe as piores notas em gestão pública.

Sua ingratidão para com o PMDB, só demonstra sua incapacidade de pensar em projeto de grupo. A deputada parece olhar apenas para o próprio reflexo, que se diga de passagem, é uma veleidade de egoísmos justapostos com falta de brilho intelectual. O seu destempero emocional é comentado por parentes do marido. Tai um político que não vai fazer falta.

João Henrique defende Geddel

O prefeito de Salvador reafirmou seu apoio a candidatura de Geddel ao governo da Bahia. Disse respeitar a opinião da esposa. “Respeito as decisões políticas da deputada Maria Luiza. Entretanto, nesta ocasião, e sendo uma das lideranças do PMDB na Bahia, tenho que reafirmar  publicamente o meu apoio à candidatura do meu partido.”, declara.

Sem brilho político pessoal, a deputada foi eleita tendo como principal cabo eleitoral o marido. Que é filho do senador João Durval e irmão do deputado federal Sérgio Carneiro (PT/BA). O egoísmo político da neopolítica Maria Luiza é claramente entendido, quando está busca lançar-se candidata a um mandato federal, mesmo cargo ocupado pelo cunhado. Só para lembrar, Sérgio Carneiro ia ser secretário do irmão durante o primeiro mandato, não o foi por conta de Luiza. Agora deu o troco.

Por trás de toda esta movimentação está o senador João Durval (PDT), que por fim é lembrado como importante apoio para a majoritária de 2010. Ter-se-á saúde para enfrentar uma campanha? Bem isto é outra história.

Confira a íntegra do discurso da Deputada Estadual Maria Luiza Carneiro (PSC)

Sr. Presidente, Sras. Deputadas, Srs. Deputados, ouvintes da TV Assembleia, senhores presentes nas galerias, imprensa, saudando a todos, (Lê) “em tão breve tempo na vida pública a política tem educado meus olhos a ver a relatividade, inerentes a fatos e argumentos. Tem educado meus ouvidos, a perceber a relevância de opiniões contrarias às minhas. Aprendi a defender com veemência um meus pontos, de vista, mas sem  perder a flexibilidade. E aprendi,que as pessoas raramente estão contra mim,mas freqüentemente estão apenas a favor delas próprias.

Na política, aprendi, me decepcionei,conquistei, idealizei porque em meio ás chamadas conquistas políticas, vivi, incorporei, aceitei, tolerei,admiti,aprendi a conhecer os fios que formam a enorme teia da política e,decidi.

Aprendi, sobretudo,”Que não importa onde, cheguei,mas para onde estou indo, qualquer lugar serve.

Aprendi que ser flexível, não significa ser fraca ou não ter personalidade, pois não importa quão delicada e frágil seja uma situação, sempre existe em dois lados.

Aprendi que heróis são pessoas que fazem o que é necessário fazer,enfrentando as consequências”.

“Aprendi, que paciência, requer muita prática”.

De ciência mais suprema na era Aristotélica, cuja finalidade era buscar a felicidade coletiva por meio das por meio das instituições do. estado,. a política, nos tempos modernos, virou empreendimento. Sua tarefa missionária, cedeu lugar a ação corporativa. E não quero discorrer sobre isso… Para mim, chegou a-hora de deletar o passado pensar o presente e planejar o futuro.

A minha vida se tornou um turbilhão desde o  anuncio da candidatura. Além da resistência da minha família dos meus filhos, do meu esposo que só concebe uma  candidatura à reeleição, vivo numa farsa. política, rodeada de fogo amigo,. uma verdadeira guerra fria. Hoje sou PSC… sem. vocação para ser refém … por isso vivo em  silêncio e afastada das atividades politicas, e com as novas mudanças políticos e partidárias, as dificuldades no meu caso ganharam  dimensão,  superior ainda, inviabilizando assim, o que supunha ser um projeto.

Como podem perceber, a minha condição política,  é extremamente delicada, porque, fui além. Por convicção pessoal, não pertenço ao grupo que apóia a candidatura do ex-ministro Geddel Vieira Lima… e sei, que isso já me custaria a perda da legenda partidária, o direito de ser candidata…

Ontem, fui submetida a mais uma seção de pressão, dessa vez fui pega de surpresa, restando apenas duas opções: ou voltar atrás nas minhas decisões ou desistir de continuar a lutar por um mandato. Hoje, falta-me entusiasmo… Por tudo isso, nesse momento, quero anunciar que desisto da minha candidatura a deputada. federal. Nesse momento, Srs. Deputados e Sras. Deputadas, o meu sentimento é de alívio, sem ressentimentos ou  delongas.

Voltarei ao trabalho que jamais pensei em abandonar, porque Salvador precisa de  todos nós e apesar de ser apaixonada pela politica, sinceramente não vendo a minha alma por nada, muito menos, por um cargo.”

A Sra. MARIA LUIZA: – Só para concluir, Presidente.

O Sr. PRESIDENTE (Marcelo Nilo):-  Fique à vontade, deputada.

MARIA LUIZA – Vossas Excelências talvez isso não seja tudo mas certamente é o que me interessa. E a essa altura da vida. é o que devo e quero fazer e ser: coerente comigo mesma, independente, fiel aos meus princípios e valores, e honesta com a sociedade.

Comecei dizendo que aprendi, busquei incessantemente, vagando por siglas partidárias, pelos reais valores políticos, e não aprendi que buscava o inexistente…Me refiro, aonde andei… O futuro, a Deus pertence e com certeza estarei firme para o que venha, pois não me falta coragem e esperança.”

Aproveito para desejar todo o sucesso aos meus colegas nas próximas eleições, e agradeço a todos pela atenção de vocês.

Obrigada, Sr. Presidente.

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto Oliveira da Silva (Carlos Augusto) é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF). Atua como jornalista e cientista social. Telefone: (75)98242-8000 | E-mail: [email protected]