Baêêaaa!!! A bola continua redonda!!!

Baêêaaa!!! A bola continua redonda!!!

Baêêaaa!!! A bola continua redonda!!!

O Esporte Clube Bahia, Ex Tricolor de Aço, Ex Bahiaço, Ex Espanta Tabu, Ex Campeão dos Campeões, na realidade comemorou sua volta à série B, sendo goleado, impiedosamente, pelo Craque de Goiânia – 4X1

A campanha do Bahia na série C foi coroada no dia 25 de novembro de 2007 por risos e lágrimas. Pude acompanhar pela TV a grande comemoração dos torcedores do Baêa, após um magro 0X0 contra o Vila Nova de Goiás. A fanática torcida do tricolor da Boa Terra, em êxtase, invadiu o campo para saudar seus “heróis”. Pude observar que outros, mais excitados, arrancavam os tapetes de gramas – estes deveriam estar com uma fome terrível – alguns, vandalizando o espetáculo, arrancavam as redes das metas, provavelmente para guardá-la como lembrança.

Infelizmente o pior aconteceu. Nas arquibancadas do Estádio Otávio Mangabeira, conhecido nacionalmente como “Estádio da Fonte Nova”, a pior tragédia do futebol baiano nos últimos tempos, estava acontecendo. A falta de manutenção nas dependências da “velha” praça de esportes fez com que as estruturas de concreto não suportassem a vibração da torcida ensandecida – aproximadamente 60 mil pessoas – que pulava e gritava, comemorando a volta do seu clube para a segunda divisão do futebol brasileiro, levando a óbito sete vidas e treze torcedores gravemente feridos.

O Esporte Clube Bahia, Ex Tricolor de Aço, Ex Bahiaço, Ex Espanta Tabu, Ex Campeão dos Campeões, na realidade comemorou sua volta à série B, sendo goleado, impiedosamente, pelo CRAC de Goiânia – 4X2 – o que lhe rendeu o título de Vice Campeão da série C

No ano passado o Baêa mandou seus jogos no Estádio Jóia da Princesa, praça esportiva de Feira de Santana. A campanha do Esquadrão de Aço (aço?) não foi boa. Segundo seus torcedores, principalmente os mais fanáticos, as causas foram: gramado ruim, falta da torcida, a distância de Salvador, entre outras. Só que esqueceram de um dos principais motivos: “é que a bola é redonda, por isso os jogadores do Baêa não conseguem dominá-la “.

Hoje, em Pituaçu, em um bom gramado, ao som do grito de sua fanática e assídua torcida, na cidade “do São Salvador”, e o desempenho do “Baêa” está sendo pior do que em 2008. Como se explica este fenômeno, este mistério? Segundo análise minuciosa, constatou-se o seguinte: “a bola continua redonda”!!!

www.albertopeixoto.com.br

 

Publicidade

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Alberto Peixoto
Antonio Alberto de Oliveira Peixoto, nasceu em Feira de Santana, em 3 de setembro de 1950, é Bacharel em Administração de Empresas pela UNIFACS, e funcionário público lotado na Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia, atua como articulista do Jornal Grande Bahia, escrevendo semanalmente, é escritor e tem entre as obras publicadas os livros de contos: 'Estórias que Deus Duvida', 'O Enterro da Sogra, 'Único Espermatozoide', 'Dasdores a Difícil Vida Fácil', participou da coletânea 'Bahia de Todos em Contos', Vol. III, através da editora Òmnira. Também atua incentivador da cultura nordestina, sendo conselheiro da Fundação Òmnira de Assistência Cultural e Comunitária, realizando atividades em favor de comunidades carentes de Salvador, Feira de Santana e Santo Antonio de Jesus. É Membro da Academia de Letras do Recôncavo (ALER), ocupando a cadeira de número 26. E-mail para contato: [email protected] Saiba mais sobre o autor visitando o endereço eletrônico http://www.albertopeixoto.com.br.