Possível queda no preço da gasolina preocupa produtores de cana-de-açúcar

José Sergio Gabrielli de Azevedo, presidente da Petrobras.

José Sergio Gabrielli de Azevedo, presidente da Petrobras.

O presidente da União das Indústrias da Cana-de-Açúcar (Unica), Marcos Jank, está preocupado com a possibilidade de uma queda no preço da gasolina. Segundo ele, qualquer redução no preço do produto significaria uma queda significativa da rentabilidade das empresas do setor, pois grande parte das lavouras de cana do país é destinada à produção do etanol usado como combustível.

“Passamos dois anos com os preços do etanol e do açúcar muito baixos e ainda enfrentamos uma crise internacional. Qualquer redução no preço da gasolina seria uma coisa muito complicada para nós [a indústria da cana-de-açúcar]”, disse Jank, em entrevista concedida na sede da Unica, em São Paulo.

A queda no preço da gasolina chegou a ser cogitada pelo presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, em audiência pública realizada na Câmara dos Deputados no mês passado. As recentes quedas no preço do barril do petróleo no mercado internacional justificariam a redução.

Para Jank, entretanto, esse argumento não é válido. Segundo ele, o preço da gasolina no Brasil está praticamente congelado há quatro anos, mesmo com a alta expressiva no preço do barril do petróleo verificada até o início da crise internacional. “O preço do barril passou de US$ 60 para US$ 140 em dois anos e gasolina não subiu. Vai subir agora?”

O presidente da Unica disse ainda que já apresentou ao governo estudos que mostram como a possível redução no preço da gasolina prejudicaria o setor sucroalcooleiro. Disse também que o governo ainda não chegou a uma decisão sobre a medida.

Publicidade

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]