O planeta Terra e o momento crítico

Tripulação da missão Apollo 17 registraram a primeira fotografia da Terra como um todo em 7 de dezembro de 1972.

Tripulação da missão Apollo 17 registraram a primeira fotografia da Terra como um todo em 7 de dezembro de 1972.

O nosso planeta atualmente passa por um momento muito delicado. Estamos envolvidos em situações de conflitos causados por um choque de objetivos ou de informações desencontradas, tendo como principal causador a convergência de forças com sentidos opostos e de igual intensidade atrelados ao jogo dos interesses. É o caos ambiental, social, político, empresarial, cultural, enfim, a derrocada da qualidade de vida dos seus habitantes, que se instalou em nosso planeta.

Se esquadrinharmos o planeta Terra, perceberemos que ele encontra-se em depressão, à beira do colapso. Como podemos observar em tragédias ambientais como o Tsunami na Ásia, terremotos no Japão e na China, tornados nas Américas, que é a natureza julgando o homem por sua caminhada destruidora por longos séculos. Segundo a teoria de Gaia, a natureza quando se sente ameaçada acaba por destruir o causador, antes que ele a destrua. Com a difusão da Globalização, tais acontecimentos se tornarão mais comum. Quanto mais o homem evolui – em todos os sentidos – mais problemas causam.

Imagino que, neste momento crítico, a primeira atitude que devemos tomar como cidadão, deste planeta, é definir o que podemos ou devemos fazer para reverter esta situação caótica aqui instalada. Diante desta posição embaraçosa não devemos simplesmente lamentar, pois somos os responsáveis pela transformação e recuperação do planeta Terra. Devemos fazer a nossa parte, contribuindo para a melhoria desta situação de caos, começando as mudanças de comportamento em nossa própria casa.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Alberto Peixoto
Antonio Alberto de Oliveira Peixoto, nasceu em Feira de Santana, em 3 de setembro de 1950, é Bacharel em Administração de Empresas pela UNIFACS, e funcionário público lotado na Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia, atua como articulista do Jornal Grande Bahia, escrevendo semanalmente, é escritor e tem entre as obras publicadas os livros de contos: 'Estórias que Deus Duvida', 'O Enterro da Sogra, 'Único Espermatozoide', 'Dasdores a Difícil Vida Fácil', participou da coletânea 'Bahia de Todos em Contos', Vol. III, através da editora Òmnira. Também atua incentivador da cultura nordestina, sendo conselheiro da Fundação Òmnira de Assistência Cultural e Comunitária, realizando atividades em favor de comunidades carentes de Salvador, Feira de Santana e Santo Antonio de Jesus. É Membro da Academia de Letras do Recôncavo (ALER), ocupando a cadeira de número 26. E-mail para contato: [email protected] Saiba mais sobre o autor visitando o endereço eletrônico http://www.albertopeixoto.com.br.