Pastoral protesta contra assassinato de sem terra no Paraná

A Comissão Pastoral da Terra (CPT) divulgou hoje (31/04/2008) nota de repúdio ao assassinato de um líder do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) no Paraná.

“A Coordenação Nacional da CPT exige rápida investigação deste crime e a punição exemplar dos responsáveis pelo mesmo. Não é admissível que em pleno século XXI os instrumentos da barbárie ainda sejam utilizados contra os pobres do campo e que os proprietários da terra criem e mantenham milícias privadas para garantir propriedades que não cumprem sua função social, como determina a constituição nacional”, diz a nota

Eli Dallemole, de 42 anos de idade, vivia com a mulher e três filhos no assentamento Libertação Camponesa, em Ortigueira. Ele liderava um acampamento na fazenda Compramil, próximo à BR 376, ocupada desde 2003 pelo MST.

Segundo a CPT, por volta de 19h30 de ontem (30) homens encapuzados invadiram a casa de Dallemole e o executaram na presença dos familiares.

A Pastoral relata ainda um ataque anterior de pistoleiros, em 8 de Marco, contra as 35 famílias acampadas na área.

“Queimaram todos os seus pertences. Crianças foram ameaçadas e arrastadas, e mulheres e homens espancados, ficando apenas com a roupa do corpo. As famílias expulsas foram acolhidas em assentamentos vizinhos”, afirma a nota.

A prisão em flagrante de pelo menos sete pistoleiros que participaram do ataque às famílias foi, conforme a CPT, o que impulsionou ameças de morte a Eli Dallemole.

A atuação de milícias armadas na região já teria sido denunciada por famílias sem terra à Secretaria Especial de Direitos Humanos do Governo Federal.

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]