+ Manchetes >

Eleitores Analfabetos

Foi noticiado em um dos veículos de comunicação de maior audiência neste país que, segundo o TSE, mais da metade dos eleitores brasileiros não completaram o ensino fundamental. O Tribunal Superior Eleitoral afirma, ainda, que mais de 6% são analfabetos e só 3% têm formação universitária. No nordeste – a tragédia ainda é maior – está concentrado o maior percentual de eleitores com o mínimo de escolaridade, ou seja: 70% não completaram o ensino fundamental.

Isto não é novidade. Segundo os institutos de pesquisas, uma pessoa para ser considerada alfabetizada, não só é necessário ler e escrever corretamente como também ter senso crítico, ou seja, capacidade de emitir um comentário ou criticar. Talvez em decorrência deste critério, os resultados das pesquisas nos revelam que algo em torno de 85% dos brasileiros são analfabetos ou semi-analfabetos, 16,30 milhões são totalmente analfabetos – sem a mínima condição de ler ou escrever sequer um simples bilhete – e 18,5% dos adolescentes entre 15 a 17 anos, não frequentam escola.

É preciso que haja investimentos maciços em educação neste país, principalmente no ensino público que agoniza a cada dia. É necessário que atitudes urgentes sejam tomadas com relação à recuperação não só da estrutura física das escolas, como também, na qualidade do ensino. Projetos deveriam ser criados para estimular os alunos a gostar de estudar e assim mudar uma perversa visão que eles tem da escola, como sendo um local de punição. Também se faz necessário reestudar os salários dos professores, que deveriam ser federalizados.

Concluímos, então, que os administradores do ensino neste país, principalmente no setor público, não leva muito a sério a educação que é o grande propulsor de qualquer nação. Como já foi dito por Monteiro Lobato (1882 – 1948), um dos mais influentes escritores brasileiro do século XX: “um país se faz com homens e livros”. Claro que com homens comprometidos através da cultura e da educação em mudar, qualitativamente, a estrutura do ensino no país.

Alberto Peixoto

www.albertopeixoto.com.br
[email protected]

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Alberto Peixoto
Antonio Alberto de Oliveira Peixoto, nasceu em Feira de Santana, em 3 de setembro de 1950, é Bacharel em Administração de Empresas pela UNIFACS, e funcionário público lotado na Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia, atua como articulista do Jornal Grande Bahia, escrevendo semanalmente, é escritor e tem entre as obras publicadas os livros de contos: 'Estórias que Deus Duvida', 'O Enterro da Sogra, 'Único Espermatozoide', 'Dasdores a Difícil Vida Fácil', participou da coletânea 'Bahia de Todos em Contos', Vol. III, através da editora Òmnira. Também atua incentivador da cultura nordestina, sendo conselheiro da Fundação Òmnira de Assistência Cultural e Comunitária, realizando atividades em favor de comunidades carentes de Salvador, Feira de Santana e Santo Antonio de Jesus. É Membro da Academia de Letras do Recôncavo (ALER), ocupando a cadeira de número 26. E-mail para contato: [email protected] Saiba mais sobre o autor visitando o endereço eletrônico http://www.albertopeixoto.com.br.