Quatro em cada dez trabalhadores do mundo são pobres, revela OIT

Quatro em cada dez trabalhadores do mundo são pobres, segundo diagnóstico da Organização Internacional do Trabalho (OIT). Das 3 bilhões de pessoas empregadas, 1,3 bilhão ganha até US$ 2 diários e 489,7 milhões ganham menos de US$ 1 por dia.

Os números constam no relatório Tendências Mundiais do Emprego, divulgado hoje (23/01/2008) pela OIT. O número de desempregados, segundo a organização, chegou a 189,9 milhões em 2007.

“Para reduzir no longo prazo o número de desempregados e de trabalhadores pobres, é indispensável que em períodos de alto crescimento sejam adotadas medidas para criar mais emprego produtivo e trabalho decente”, recomenda a organização.

De acordo com o relatório, o nível de emprego se manteve estável em 2007 graças ao crescimento de 5,2% no Produto Interno Bruto (PIB) mundial. Foram criados 45 milhões de novos postos, um crescimento de 1,6% em relação a 2006. O setor de serviços foi o que mais empregou em 2007: 42,7% da força de trabalho. Em segundo lugar vem a agricultura, com 34,9% das vagas. A indústria representou 22,4% dos empregos.

A taxa mundial de desemprego permaneceu em 6%, embora o número de desempregados tenha aumentado em 2,9 milhões. Na América Latina e Caribe, porém, o desemprego é maior: atingiu 8,5% da população em 2007. O perfil do emprego também é diferente da média mundial. A região apresenta a maior concentração no setor de serviços, que responde por 58,9% do emprego. Em segundo lugar vem a indústria, com 20%, e, por último, agricultura, com 18,6% da força de trabalho.

De acordo com a OIT, a região é a única que registra crescimento do emprego vulnerável. Entre 1997 e 2007, o índice de trabalhadores nesta categoria subiu de 31,4% para 33,2%

“Isso indica que os postos de trabalho criados no setor de serviços são inseguros, provavelmente mal-remunerados, e que as condições de trabalho são insatisfatórias”, diz o relatório.

No setor de serviços, 74,8% dos trabalhadores são mulheres. “É provável que entre as mulheres tenha aumentado o emprego vulnerável. Talvez a única vantagem paralela esteja no fato de que deixaram de trabalhar na agricultura como familiar não remunerado para converterem-se em trabalhadoras por conta própria no setor de serviços”, pondera a OIT. Na região, 25,4% dos trabalhadores ganham até US$ 2 diários e 8% recebem menos de US$ 1 por dia.

A OIT também faz previsões para 2008. Acredita que as turbulências causadas pela crise no setor de financiamento de moradia nos Estados Unidos e a persistente alta do preço do petróleo podem resultar em 5 milhões de novos desempregados já em 2008, o que elevaria a taxa de desemprego para 6,1%. Ainda assim, devem ser criados cerca de 40 milhões de postos de trabalho este ano.

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]