O Verdadeiro Sentido do Natal

O Natal é uma oportunidade de confraternizarmos com colegas e amigos. Este ano, na festa de congraçamento da empresa onde trabalho, tive a oportunidade de ouvir diversos depoimentos sobre o Natal, sua importância na atual sociedade e, também, com relação à família.

O depoimento que mais me chamou a atenção – e acho que de todos os presentes – foi o da colega Gilvania Chaves, que nos levou a refletir sobre o verdadeiro sentido do Natal.

Gilvania, de forma simples e precisa, disse:

“A cada ano a expectativa da chagada do Natal aumenta. São múltiplos os sentimentos e sensações, o que estabelece os diversos sentidos desse momento intrínseco de esperança, amor, renovação, renascimento…

O sentido do Natal decorre da forma como cada criatura vive este momento. É evidente que os comerciantes, em sua maioria, utilizam-no como marketing, fonte de lucro. Já os Cristãos aproveitam para propagar a renovação dos corações com o intuito de prepará-los para a chegada do Menino Jesus.

Na sociedade contemporânea, a globalização vem montando seu império excludente, os valores da solidariedade e da equidade são substituídos pela ganância e pelo egoísmo, deste modo o verdadeiro sentido do Natal vem se perdendo no tempo, juntamente com a evolução dos sentimentos do ter e do poder, extinguindo, totalmente, a razão e vivência do ser.

Natal… 25 de dezembro… Ano Novo… mudança de calendário. Como viver a essência do Natal? E do tão esperado novo ano? O Natal…fim de ano… é um tempo impulsionador de renovação e de crescimento espiritual. Somos convidados a analisar os sentimentos que trafegam em nossos corações, com vistas a exterminar o que nos afasta de uma vida saudável e buscar o que nos eleve espiritual e moralmente. Momento propício à reflexão de nossa trajetória anual, nossas atitudes diárias nos mais diversos aspectos, quer seja no trabalho, em nosso lar, no ambiente educacional, ou mesmo nos instantes de lazer, que são tão escassos no mundo globalizado.

Será que a virada de ano realmente conduz a uma vida nova? A resposta é muito simples: Depende de nós! Cada pessoa é responsável pelos caminhos que lhes são abertos. A estrada da nossa vida será esplêndida de alegria e de amor se em nossas ações cotidianas buscarmos estes sentimentos, portanto a mudança virá com o novo ano se o indivíduo tiver força de vontade e coragem de lutar para ser melhor, para ser mais humilde, solidário, ético…O trabalho de lapidação do ser humano é árduo e exige dedicação e abnegação.

Nesse contexto, vale lembrar as sábias palavras de Ivan Lins: Depende de nós quem já foi ou ainda é criança; Depende de nós se este mundo ainda tem jeito, apesar do que o homem tem feito se a vida sobreviverá. O rumo da sua vida é estabelecido exclusivamente por você, portanto adube a árvore da felicidade, para isto basta nutri-la com carinho, amor, alegria, prosperidade… Plante o amor, semeie a paz e colha uma vida abundante de harmonia. Cabe a você, exclusivamente, a responsabilidade por todas as mudanças necessárias para que se torne melhor e mais humano”! – Gilvania N. Chaves.

Espero que em 2008, todos nós sejamos mais racionais, que possamos notar mais o brilho nos olhos de nossos irmãos, não o julgar pela cor da sua pele ou, sua condição financeira, agir mais com o coração, ser feliz e amar mais ao próximo.

2008 também é ano de Olimpíadas, de eleições Municipais e o ano em que os americanos vão escolher o sucessor de George W. Bush na presidência da nação mais poderosa do mundo. Vamos torcer para que o próximo presidente dos Estados Unidos, procure difundir a “Paz” no planeta.

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Alberto Peixoto
Antonio Alberto de Oliveira Peixoto, nasceu em Feira de Santana, em 3 de setembro de 1950, é Bacharel em Administração de Empresas pela UNIFACS, e funcionário público lotado na Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia, atua como articulista do Jornal Grande Bahia, escrevendo semanalmente, é escritor e tem entre as obras publicadas os livros de contos: 'Estórias que Deus Duvida', 'O Enterro da Sogra, 'Único Espermatozoide', 'Dasdores a Difícil Vida Fácil', participou da coletânea 'Bahia de Todos em Contos', Vol. III, através da editora Òmnira. Também atua incentivador da cultura nordestina, sendo conselheiro da Fundação Òmnira de Assistência Cultural e Comunitária, realizando atividades em favor de comunidades carentes de Salvador, Feira de Santana e Santo Antonio de Jesus. É Membro da Academia de Letras do Recôncavo (ALER), ocupando a cadeira de número 26. E-mail para contato: [email protected] Saiba mais sobre o autor visitando o endereço eletrônico http://www.albertopeixoto.com.br.