Governo quer conceder benefício fiscal para baratear conversor digital

O governo estuda a possibilidade de conceder benefícios fiscais para que o conversor da TV digital possa ser produzido a preços competitivos em todo o País. O objetivo do governo é garantir que a população possa ter acesso a um conversor barato para usufruir os benefícios da TV digital,

O governo descarta a posibilidade em aceitar um conversor com preço acima de R$ 200. A idéia de se estender os benefícios fiscais da Zona Franca de Manaus para todo o País, no caso dos conversores, foi defendida com afinco por Hélio Costa no ano passado. O governo, no entanto, optou pela posição defendida pelo ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio da época, Luiz Fernando Furlan, que queria os benefícios restritos a Manaus. Na época, Costa já alertava para o fato de que sem uma ampla produção em todo o Brasil o preço do conversor poderia ficar muito alto.

Técnicos do setor avaliam que a extensão dos benefícios a todo o País poderia baixar pela metade o preço de conversores, que vêm sendo produzidos fora da Zona Franca. Na quarta-feira desta semana (dia 21), a Positivo Informática, empresa do Paraná, anunciou que vai fabricar conversores com preços a partir de R$ 499. Com os benefícios, avaliam os técnicos, este preço cairia para cerca de R$ 250.

Uma das versões que circulam em Brasília é a de que o conversor produzido na Zona Franca estaria caro porque as empresas instaladas lá estariam mais interessadas em produzir televisores. O governo, no entanto, não descartou a possibilidade de importar conversores, mas para isso teria que reduzir impostos de importação.

TV digital

A TV digital começará suas operações no País em dezembro, na cidade de São Paulo, e em meados do próximo ano chegará a Brasília, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. Nas demais capitais, a previsão é de que o novo sistema seja implantado até início de 2009.

O set top box é usado para converter o sinal digital em analógico e permite que o telespectador continue a utilizar o televisor que tem em casa. A caixinha vai promover uma melhora na qualidade de imagem, mas para ter imagem e som com tecnologia digital e em alta definição é preciso que o televisor seja digital. O sinal analógico vai continuar a ser distribuído até 2016.

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]