+ Manchetes >

O Horário de Verão na Bahia

Segundo o Ministério de Minas e Energia, o horário de verão deste final de ano, trará uma economia de, aproximadamente, 2.000 MW, o que significa uma redução no consumo, no horário de pico, entre 4% a 5%.

Por causa da posição da terra em relação ao sol neste período, os dias são mais longos que as noites, por isso nos dá a possibilidade de aproveitarmos, por maior espaço de tempo a luminosidade natural, reduzindo assim, o consumo de energia elétrica.

No Brasil, o horário de verão foi adotado pela primeira vez, em 1931. Até 1967, houve diversas mudanças – algo em torno de nove decretos – no entanto, a partir de 1985 essa medida vem sendo adotada de forma contínua, exceto nos estados do nordeste.

A partir de 2004, não usamos – oficialmente – o horário de verão no estado da Bahia, porém, ele se encontra em nosso dia a dia – atrapalhando o curso normal dos nossos afazeres – no horário dos bancos, aeroportos, rodoviárias, correios, programação da TV, eventos nacionais do tipo concursos públicos, vestibulares, etc. Enfim, bagunçando nossa vida, que precisa se adaptar ao horário do sul do país – horário de verão – e o do nosso estado. Portanto, para evitarmos “um” horário de verão, acabamos ficando com dois horários distintos.

Não seria melhor aderirmos a este horário? Particularmente, sou a favor do horário de verão.

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Alberto Peixoto
Antonio Alberto de Oliveira Peixoto, nasceu em Feira de Santana, em 3 de setembro de 1950, é Bacharel em Administração de Empresas pela UNIFACS, e funcionário público lotado na Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia, atua como articulista do Jornal Grande Bahia, escrevendo semanalmente, é escritor e tem entre as obras publicadas os livros de contos: 'Estórias que Deus Duvida', 'O Enterro da Sogra, 'Único Espermatozoide', 'Dasdores a Difícil Vida Fácil', participou da coletânea 'Bahia de Todos em Contos', Vol. III, através da editora Òmnira. Também atua incentivador da cultura nordestina, sendo conselheiro da Fundação Òmnira de Assistência Cultural e Comunitária, realizando atividades em favor de comunidades carentes de Salvador, Feira de Santana e Santo Antonio de Jesus. É Membro da Academia de Letras do Recôncavo (ALER), ocupando a cadeira de número 26. E-mail para contato: [email protected] Saiba mais sobre o autor visitando o endereço eletrônico http://www.albertopeixoto.com.br.