Consea elege representantes e proporciona palestra com Leonardo Boff

O Conselho Nacional de Segurança Alimentar da Bahia empossou na manhã da última quarta-feira (26/09/2007), representantes indígenas, quilombolas, pescadores e comunidades de fundo de pasto no Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional do Estado da Bahia (Consea). A solenidade aconteceu no Instituto Anísio Teixeira, na Avenida Paralela e teve como palestrante, o teólogo Leonardo Boff, integrante da Ordem dos Frades Menores, doutor em teologia e Filosofia pela Universidade de Munique/ Alemanha, também é autor de 60 livros de Teologia, Espiritualidade, Filosofia, Antropologia e Mística.

“Mudamos ou Morremos”

Leonardo Boff fez palestra na manhã de ontem, sobre “Desenvolvimento Sustentável com Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional”. O teólogo explicou que desde quando o relatório da ONU foi divulgado (2 de fevereiro de 2007), o desenvolvimento sustentável tem sido motivo de debates em todo o mundo.

“Este tema surgiu na década de 70, quando os homens se deram conta de que a terra estava doente por causa de um desenvolvimento que degrada o meio ambiente e compromete o futuro da humanidade. Falar de desenvolvimento sustentável é problemático porque existe uma grande contradição entre o modo de produção e consumo da sociedade (capitalista) e o ritmo da natureza”, salienta.

Boff disse que a humanidade está cercada pelo aquecimento global e que não há como retroceder este processo, mas existem formas de freiar a intensidade com que ele se infiltra no planeta. “Investimentos devem ser feitos para equilibrar o clima, políticas de adaptação e amenização das pessoas para conviverem com o clima. Estudiosos na área dizem que 80 por cento da população, entre 2030 e 2040, desaparecerão por não conseguirem se adaptar”, informa.

Além de alertar a população quanto aos efeitos do aquecimento global, o teólogo explicou que a seca é um problema que deve ser encarado de modo a descobrir formas de resgatar a água de outras maneiras.

Outro ponto destacado por Leonardo Boff, foi a possível disputa por água no mundo. “O Brasil possui 13 por cento das águas potáveis do mundo, mas em muitos lugares, os aquíferos estão sendo contaminados pelos homens. A próxima crise mundial poderá acontecer pela falta deste bem natural”, explica Boff.

Entre os participantes da solenidade estiveram o diretor nacional da Conab, Sílvio Porto; a representante dos movimentos sociais, ligada ao MST, Elisabeth Rocha; a secretária de Desenvolvimento Social de Salvador, Maria das Dores; a deputada estadual, Fátima Nunes; o secretário de Educação do Estado, Adeum Sauer; o diretor do Consea Nacional, Francisco Menezes, o secretário de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza, Valmir Assunção e a assessoria do deputado estadual Zé Neto.

 

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Publicidade

Faça uma doação ao JGB

Perfil do Autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518), Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia (SINJORBA), Associação Brasileira de Imprensa (ABI Nacional, Matrícula nº E-002907) e Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia).