Consea elege representantes e proporciona palestra com Leonardo Boff

O Conselho Nacional de Segurança Alimentar da Bahia empossou na manhã da última quarta-feira (26/09/2007), representantes indígenas, quilombolas, pescadores e comunidades de fundo de pasto no Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional do Estado da Bahia (Consea). A solenidade aconteceu no Instituto Anísio Teixeira, na Avenida Paralela e teve como palestrante, o teólogo Leonardo Boff, integrante da Ordem dos Frades Menores, doutor em teologia e Filosofia pela Universidade de Munique/ Alemanha, também é autor de 60 livros de Teologia, Espiritualidade, Filosofia, Antropologia e Mística.

“Mudamos ou Morremos”

Leonardo Boff fez palestra na manhã de ontem, sobre “Desenvolvimento Sustentável com Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional”. O teólogo explicou que desde quando o relatório da ONU foi divulgado (2 de fevereiro de 2007), o desenvolvimento sustentável tem sido motivo de debates em todo o mundo.

“Este tema surgiu na década de 70, quando os homens se deram conta de que a terra estava doente por causa de um desenvolvimento que degrada o meio ambiente e compromete o futuro da humanidade. Falar de desenvolvimento sustentável é problemático porque existe uma grande contradição entre o modo de produção e consumo da sociedade (capitalista) e o ritmo da natureza”, salienta.

Boff disse que a humanidade está cercada pelo aquecimento global e que não há como retroceder este processo, mas existem formas de freiar a intensidade com que ele se infiltra no planeta. “Investimentos devem ser feitos para equilibrar o clima, políticas de adaptação e amenização das pessoas para conviverem com o clima. Estudiosos na área dizem que 80 por cento da população, entre 2030 e 2040, desaparecerão por não conseguirem se adaptar”, informa.

Além de alertar a população quanto aos efeitos do aquecimento global, o teólogo explicou que a seca é um problema que deve ser encarado de modo a descobrir formas de resgatar a água de outras maneiras.

Outro ponto destacado por Leonardo Boff, foi a possível disputa por água no mundo. “O Brasil possui 13 por cento das águas potáveis do mundo, mas em muitos lugares, os aquíferos estão sendo contaminados pelos homens. A próxima crise mundial poderá acontecer pela falta deste bem natural”, explica Boff.

Entre os participantes da solenidade estiveram o diretor nacional da Conab, Sílvio Porto; a representante dos movimentos sociais, ligada ao MST, Elisabeth Rocha; a secretária de Desenvolvimento Social de Salvador, Maria das Dores; a deputada estadual, Fátima Nunes; o secretário de Educação do Estado, Adeum Sauer; o diretor do Consea Nacional, Francisco Menezes, o secretário de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza, Valmir Assunção e a assessoria do deputado estadual Zé Neto.

 

Compartilhe e Comente

Faça uma doação ao JGB

Redes sociais do JGB

Publicidade

Publicidade

+ Publicações >>>>>>>>>

Manchete

Colunistas e Artigos

Sobre o autor

Carlos Augusto
Carlos Augusto Oliveira da Silva (Carlos Augusto) é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF). Atua como jornalista e cientista social. Telefone: (75)98242-8000 | E-mail: [email protected]